Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

No livro “Cidadania do Espírito” (2001), explicitei trechos do meu pensamento sobre Educação e Espiritualidade:
Escreveu o grande educador norte-americano Booker T. Washington (1856-1915), primeiro presidente da lendária Escola de Tuskegee, decidido a criar condições melhores de progresso para os ex-escravos e seus descendentes e para os indígenas, pelos quais também trabalhou, a partir principalmente da Educação: “Não há defesa ou segurança para nenhum de nós, a não ser na inteligência e desenvolvimento superior de todos”.
É evidente que isto, hoje, se aplica a toda a Raça Humana, o Capital de Deus, como certamente desejava, na profundidade do seu ideal, o infatigável dr. Booker, cuja Alma imaginava um futuro em que o racismo não constituísse o refúgio da insignificância.

QUEM FAZ O PÃO...
A Economia não pode ser o reino do egoísmo. Ora, ela existe para beneficiar a Terra e seus povos, compartilhando decentemente os bens da produção planetária. Se isso, porém, não ocorre, é porque se faz necessária uma mudança ético-espiritual de mentalidade, também pelo prisma do Novo Mandamento de Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, que ensina que nos devemos amar como Ele nos tem amado (Evangelho segundo João, 13:34). E que nos adverte deste modo: “Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos, se tiverdes o mesmo Amor uns pelos outros” (Boa Nova consoante João, 13:35).
E dá a medida desse sentimento ao definir: “Não há maior Amor do que doar a própria Vida pelos seus amigos” (Evangelho segundo João, 15:13).
Senão os predadores das multidões podem ganhar a batalha, que a eles no devido tempo da mesma forma consumirá. O desprezo às massas populares é multiplicação de desesperados. Certamente, alguém já concluiu que — quem faz o pão deve igualmente ter direito a ele.
Haveremos de assistir à época em que a Economia terrestre será bafejada pelo espírito de Caridade, porque a Luz de Deus avança pelos mais recônditos ou soturnos ambientes do pensamento e da ação humanos.

LBV EM GLORINHA COMPLETA 53 ANOS
O trabalho da Legião da Boa Vontade, em Glorinha/RS, completou, em 23 de maio, 53 anos. Uma festa para comemorar a data promoveu a confraternização entre atendidos pela LBV, voluntários, parceiros, colaboradores e autoridades locais.
Na ocasião, a diretora da Secretaria de Assistência Social de Glorinha, Patrícia Machado, destacou: “A LBV é uma entidade que auxilia as famílias em questões importantes e fundamentais para a criação das crianças e jovens. É fundamental e de grande importância todo esse trabalho realizado aqui”.
A assistente social Claudete Barcelos também ressaltou: “As famílias que se encontram em vulnerabilidade podem contar com o apoio da LBV. É um espaço saudável e fundamental para o município, porque é uma entidade séria, comprometida com a educação das nossas crianças. É um trabalho maravilhoso”.
O Centro Comunitário de Assistência Social Alziro Zarur, da Legião da Boa Vontade, está localizado na RS 030, km 19 — Parada 119 — Glorinha. Para outras informações, ligue: (51) 3487-2600.
Visite, conheça e se torne igualmente parte desse empreendimento de fé no ser humano e seu Espírito eterno.

José de Paiva Netto é jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios