Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em 2 de novembro de 1979, no Núcleo da Legião da Boa Vontade em Niterói/RJ, Brasil, reiterei que, assim como o corpo necessita de sustentação, nossa parte eterna precisa do alimento transubstancial, sem o que adoece. A saúde para a Alma está singularizada no Amor. Não há maior sofrimento do que a ausência dele.

Logo, faz-se urgente a vivência do Mandamento Novo de Jesus — “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos” (Evangelho, segundo João, 13:34 e 35) —, o Pão Vivo que desceu do Céu para alimentar, com Sua Santa Doutrina, os seres espirituais e humanos. Afinal, os mortos não morrem!

Revelou o Provedor Celeste, numa das mais comoventes passagens de Seu Evangelho, conforme os relatos de João, 6:48 a 51:

“48 Eu sou o Pão da Vida.

“49 Vossos pais comeram o maná no deserto, mas morreram.

“50 Este é o Pão que desce do Céu, para que todo o que dele comer não pereça!

“51 Pois Eu sou o Pão Vivo que desceu do Céu. Se alguém dele comer, viverá eternamente; e o Pão que Eu darei para a vida do mundo é a minha própria carne [minha Doutrina]”.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

Serviço — Jesus e a Cidadania do Espírito (Paiva Netto), 400 páginas. À venda nas principais livrarias ou pela www.amazon.com.br.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.