Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Quatorze de fevereiro — Dia da Amizade. Esse sentimento que verdadeiramente se consolida nas lutas e nos dissabores da existência humana se encontra bem retratado em trecho de página compilada por Malba Tahan, pseudônimo do famoso escritor e matemático brasileiro Júlio César de Mello e Souza (1895-1974), constante de “Lendas do Céu e da Terra”, com o título “Boa Vontade”. Vamos ao singelo conto.

“Tendo um homem adquirido uma fazenda, encontrou-se, dias depois, com um de seus vizinhos.

“— O senhor comprou esta propriedade? — perguntou-lhe o vizinho em tom quase agressivo.

“— Comprei-a, sim, meu amigo!

“— Pois sinto dizer-lhe que vai ter sérios aborrecimentos. Com as terras, o senhor comprou, também, uma questão nos tribunais.
“— Como assim? Não compreendo!
“— Vou explicar. Existe uma cerca, construída pelo proprietário anterior, fora da linha divisória. Não concordo com a posição dessa cerca. Desejo defender os meus direitos e vou partir para a justiça, para a demanda.
“— Ora, meu amigo, eu lhe peço que não faça semelhante coisa — retorquiu o proprietário. — Acredito na sua palavra. Se a cerca não está no lugar devido iremos e consertaremos tudo de perfeito acordo.

“— O senhor está falando sério?

“— É claro que eu estou!

“— Pois se é assim — respondeu o reclamante, agora acalmado — a cerca ficará como está. O senhor é um homem honrado e digno. Faço mais questão de sua amizade do que de todos os alqueires de terra.

“E os dois vizinhos tornaram-se amigos inseparáveis, e essa amizade foi de grande utilidade para ambos e para toda a região (...)”.

Isso talvez aconteça em termos parecidos, em algum lugar do mundo, mas é para tempos melhores. Então, comecemos ontem.

A Boa Vontade é semente indispensável no cultivo do Amor, da Sabedoria e da Verdade. A partir dela se pode colher, na lavoura da vida, o espírito de Paz. Em seu “Poema da Amizade”, bem definiu o poeta Alziro Zarur (1914-1979): “Meu particularíssimo Evangelho:/ Amizade é a minha religião”.

Natureza em debate

O jornalista, escritor e ambientalista André Trigueiro lançou, no Rio de Janeiro/RJ, em 6/2, “Mundo Sustentável 2 — Novos rumos para um planeta em crise”. Entre os que prestigiaram o evento, estavam o secretário estadual do Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Minc; o locutor esportivo José Carlos Araújo, o Garotinho; e o defensor e articulador dos direitos indígenas Marcos Terena. A obra, composta por artigos sobre a Rio+20, traz igualmente textos inéditos de convidados especiais, como Adalberto Veríssimo, Marcos Terena, Paulo Saldiva, Roberto Schaeffer, Roberto Smeraldi, Samyra Crespo, Sérgio Abranches e Suzana Kahn.

Falando um pouco sobre o seu trabalho, André Trigueiro (aliás, 16/2 é Dia do Repórter) comentou à Super Rede Boa Vontade de Comunicação: “Para que a gente consiga retirar dos horizontes o cenário de uma catástrofe iminente, ainda neste século, é preciso corrigir o rumo. A gente deve se preocupar com o que está deixando. Essa é a razão da vida: a gente está aqui para servir. Espero que o livro seja útil”.

Fiquei honrado com a dedicatória que recebi do autor: “Paiva Netto, parabéns pela obra e que o bem prevaleça! Um abraço, André Trigueiro”. Grato, prezado amigo. Estamos juntos nesta empreitada. Na LBV, uma de nossas mais ativas campanhas é justamente conscientizar a todos de que a destruição da Natureza é a extinção da raça humana.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br – www.boavontade.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios