Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Estamos na Semana Mundial da Harmonia Inter-religiosa (1º a 7 de fevereiro), que as Nações Unidas (ONU) promovem desde 2010. Oportunamente, a Nave do Templo da Boa Vontade, o Templo da Paz, em Brasília/DF, abrigou, no dia 22 de janeiro, um Ato Ecumênico promovido pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH). A cerimônia celebrou o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa e o Dia Mundial da Religião.

A solenidade também marcou oficialmente a instalação do Comitê Nacional de Diversidade Religiosa, com a assinatura da portaria governamental pelos ilustres ministros de Estado presentes: dr. Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República, e dra. Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos (SDH). A convite da SDH, assinaram o documento todos os religiosos que ali compareceram. Pela Religião de Deus, estavam o ministro-pregador Émerson Damásio e meu filho Alziro de Paiva, que me representaram na ocasião solene.

 A ministra Maria do Rosário declarou: “O que desejamos para o Brasil, neste ano de 2013, é a coerência, um encontro que há entre o sentimento da presidenta Dilma Rousseff e o sentimento de vocês; o sentimento de um Brasil unido, onde sejamos capazes, sempre, cada vez mais, de assumirmos os desafios de construção da Paz, todos os dias — que significa justiça social (não naturalização da violência) —, de respeito à diversidade e de entendimento amplo do que significam, enfim, direitos humanos”.

Em seu discurso, comentou o ministro Gilberto Carvalho: “Nem preciso dizer da conveniência de estarmos reunidos com esse objetivo, de estimular o diálogo, a Cultura de Paz, justamente num Templo que é destinado para o cultivo da Paz, lugar de acolhida de tantos milhões de pessoas, que vêm em busca da Paz espiritual e da paz do mundo. (...) Em nome da presidenta Dilma, tanto a ministra Maria do Rosário quanto eu estamos aqui exatamente para lhes dizer, para firmar a vontade clara do governo brasileiro de nos incluirmos nessa perspectiva da Cultura de Paz. (...) A nossa palavra, portanto, de gratidão às lideranças religiosas, às lideranças espirituais que estão aqui, representando os seus grupos, é de um convite para que continuemos nessa perspectiva. Como diz muito bem o Irmão Paiva Netto: ‘Religião não rima com intolerância’. (...) Essa iniciativa [o Comitê Nacional de Diversidade Religiosa] contribui para esse diálogo, para a construção dessa verdade múltipla que vai chegar a Deus e chegar à Paz”.

Na mesma data, extraímos uma lição do depoimento de dona Zulmira Inês Lourena Gomes da Costa, representante do Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil (Conic): a pessoa pode na escola, no ônibus, em qualquer lugar, sentar-se ao lado de outra e conversar. Mas por que, quando falam de suas confissões religiosas, isso serve para separá-las?
Fortaleçamos, portanto, a partir da Religião, o aprendizado do respeito, que deve reger a convivência humana.

José de Paiva Netto — Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios