Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Londres, a milenária capital da Inglaterra e do Reino Unido, sedia, desde 27 de julho, sua terceira Olimpíada. Estamos na 30ª edição da era moderna desta que é uma das mais fascinantes competições esportivas. É excelente oportunidade para o melhor dos exercícios: o da Paz entre as nações.

Dois fatos assinalaram a história dos Jogos na pátria de Isaac Newton (1643-1727). Em 1908, no fim da prova da maratona — a primeira a ser disputada com a distância de 42.195 metros —, o italiano Dorando Pietri (1885-1942), que se encontrava na liderança, ao adentrar o Estádio White City, visivelmente esgotado, só conseguiu ultrapassar a linha de chegada com a ajuda de dois oficiais. Esse ato de solidariedade o desclassificou, ficando a medalha de ouro com o americano Johnny Haves (1886-1965). Entretanto, no dia seguinte, o esforço de Pietri e o gesto dos oficiais foram reconhecidos pela Rainha Alexandra (1884-1925). Um troféu foi concedido ao corredor italiano. E, em 1948, a holandesa Fanny Blankers-Koen (1918-2004) entrou para o hall dos supercampeões ao conquistar quatro das cinco medalhas de ouro para seu país. Com 30 anos e mãe de duas crianças, ela, que competia no atletismo, ganhou a alcunha de “a dona de casa voadora”.

Até o dia 12 de agosto, mais de 10 mil atletas de centenas de países protagonizarão as Olimpíadas 2012. Como Londres é a anfitriã deste ano, todos eles, heróis de carne e osso, buscarão triunfar também imantados pela magia vitoriosa do popular agente fictício James Bond. Aos que porventura queiram estragar a festa — por exemplo, com o lamentável doping —, é bom que desistam de praticar reprováveis atos. O Comitê Olímpico Inglês promete severo controle comparado à astúcia e habilidade de outro célebre personagem londrino, Sherlock Holmes, para desvendar os mais intrincados mistérios.

A primeira Olimpíada com participação do Brasil ocorreu em Antuérpia, na Bélgica, em 1920. De lá para cá, foram 91 medalhas: 20 de ouro, 25 de prata e 46 de bronze. O iatismo puxa a fila, com seis delas.

A delegação brasileira em Londres é composta de 259 atletas, 18 a menos do que a enviada a Pequim, na China. Apesar da redução, é grande a expectativa de que seja ultrapassada a marca de medalhas conquistadas na capital chinesa: 15, ao todo. Nosso incentivo à rapaziada.

Fica aqui a torcida de todos nós, na certeza de que honrar as cores de nosso país vai além de subir ao pódio. Revela-se, antes de tudo, respeito a um povo que não foge da luta, que tem conseguido superar-se nas olimpíadas da vida diária.

Ministro da Agricultura visita LBV

Na sexta-feira, 27/7, o ilustre Ministro da Agricultura, dr. Mendes Ribeiro Filho, visitou o Centro Comunitário de Assistência Social da LBV em Porto Alegre/RS. Na ocasião, após conhecer os programas socioeducativos desenvolvidos no local, comentou: “A LBV tem estado ao lado das pessoas que precisam, e nós, enquanto entidade, pudemos auxiliar nesse esforço, através de parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O que está sendo feito aqui pelas crianças é algo impressionante, também por aqueles que têm mais idade, pelos que precisam do alimento. Temos os mesmos objetivos, as mesmas missões: todos os dias acordar pensando em como ajudar o próximo”.

À Conab, o nosso agradecimento pelo apoio à campanha “Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!”

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios