Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Educando na Fé 28/12/2009  10h50

Nenhuma surpresa

Os recentes eventos na Dinamarca dão-nos a impressão de que certos países acreditam habitar um orbe diferente do das nações pobres, agindo como se não houvesse perigo para as suas próprias riquezas.
O Apocalipse de Jesus consoante João, capítulo 6o, adverte que sérias transformações atingirão a todos, indistintamente. Uma realidade global: "Vi quando o Cordeiro de Deus abriu o sexto selo, e eis que sobreveio grande terremoto. O sol se tornou negro como um saco de crina, a lua toda como sangue (...). Os reis da Terra, os príncipes, os grandes, os tribunos, os comandantes, os ricos, os poderosos, e todo escravo e todo livre se esconderam nas cavernas e nos penhascos dos montes, e disseram aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, escondei-nos da face Daquele que se assenta no trono, e da ira do Cordeiro de Deus, porque chegou o grande dia do furor deles. Quem poderá sobreviver?".

Claro que essa "ira divina" é resultado da ação desrespeitosa do ser humano com a Natureza. Não é Deus quem pune, mas os nossos atos inconsequentes.

A COP15, como previsto, acabou em desacordo.

Na sexta-feira, 18/12, num improviso, o presidente Lula desabafou:"Confesso a todos vocês que estou um pouco frustrado porque há muito tempo discutimos a questão do clima e, cada vez mais, constatamos que o problema é mais grave do que possamos imaginar". Em seguida, expôs: "Algumas pessoas pensam que apenas o dinheiro resolve o problema. Não resolveu no passado, não resolverá no presente, e muito menos no futuro. O dinheiro é importante e os países pobres precisam dele para manter o seu desenvolvimento, para preservar o meio ambiente, para cuidar das suas florestas. É verdade. Mas é importante que nós, os países em desenvolvimento e os países ricos, não pensemos que estamos fazendo um favor, dando uma esmola, porque o dinheiro que vai ser colocado na mesa é o pagamento pela emissão de gases de efeito estufa feita durante dois séculos por quem teve o privilégio de se industrializar primeiro. Não é uma barganha de quem tem dinheiro ou não. É um compromisso mais sério, é para saber se é verdadeiro ou não o que os cientistas estão dizendo, que o aquecimento global é irreversível. E, portanto, quem tem mais recursos e mais possibilidades precisa garantir a contribuição para proteger os mais necessitados".

A ministra da Casa Civil e chefe da delegação brasileira na COP15, Dilma Rousseff, afirmou: "(...) O Brasil deixou de ser parte do problema do aquecimento global para se tornar respeitado como impulsionador de soluções negociadas".

Já o discurso do presidente norte-americano, Barack Obama, gerou mal-estar na cúpula do clima. Após várias reuniões, um acordo aprovado por Estados Unidos, China, Índia, Brasil e África do Sul, mesmo sem unanimidade (uma exigência da ONU), foi "tomado nota" pelos 193 países presentes em Copenhague. Essa estratégia, segundo o diretor da ONG Union of Concerned Scientists, Alden Meyer, exprime que "há status legal suficiente para que o acordo seja funcional, sem que seja necessária a aprovação pelas partes".

Esse documento, cujo objetivo principal é limitar o aquecimento global a 2º C – sem cogitar metas para corte em emissões de CO2 –, foi muito criticado por Tuvalu, Venezuela, Bolívia, Cuba e Sudão. A senadora Marina Silva lamentou que o Encontro tenha terminado "sem um acordo à altura do planeta". O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, declarou: "Se o clima fosse um banco, já o teriam salvado".

CIDADÃO PLANETÁRIO

Natal de Jesus! O ressurgir da esperança em nossa vida. Ele nos legou uma palavra de Paz, a estrutura de um mundo renovado: "Novo Mandamento vos dou: Amai-vos como Eu vos amei. (...) Não há maior Amor do que doar a própria Vida pelos seus amigos". É sob essa augusta vibração de Fraternidade sem fronteiras que expressamos nossos votos de que todos se apercebam disto: apenas unidos e conscientes de nossa potencialidade espiritual , poderemos reverter essa situação na aparência sem saída. Há sempre solução quando os homens nela realmente se empenham.

José de Paiva Netto é Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br www.boavontade.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios