Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

UniFil e Vectra Construtora firmam convênio inédito no Brasil para capacitar adolescentes por meio de prática esportiva

Oito adolescentes entre 15 e 17 anos são os primeiros participantes do Aprendiz Atleta, programa que oferece capacitação profissional por meio de práticas esportivas. Primeira instituição no Brasil credenciada pelo Ministério do Trabalho e Emprego a utilizar o esporte na formação de aprendizes, a UniFil firmou convênio inédito no País com a Vectra Construtora para treinamento em jiu-jitsu.

A capacitação começou em agosto e tem duração de 21 meses, com atividades diárias no período da tarde. Iniciantes na modalidade, os adolescentes são treinados por um mestre faixa-preta de jiu-jitsu. São quatro dias de práticas (segunda, terça, quinta e sexta-feira) e um de aula teórica (quarta-feira).

“O foco é o esporte. A UniFil recebe adolescentes e jovens contratados como aprendizes e vai treiná-los nas modalidades escolhidas pela empresa que adere ao programa. Eles recebem todo suporte e orientação para desenvolver as habilidades esportivas”, explica a professora Rosana Sohaila Teixeira Moreira, coordenadora do curso de Educação Física e do Aprendiz Atleta.

O programa também busca a formação cidadã do participante, repassando conhecimento em diversas áreas. No primeiro módulo teórico, o conteúdo inclui direitos humanos, meio ambiente, inteligência emocional, educação financeira e fiscal, gestão, neurolinguística e comunicação e expressão. No segundo, os temas são mais voltados ao esporte, como fisiologia, nutrição, prevenção de lesões e gestão esportiva. No terceiro módulo, a teoria é específica da modalidade praticada.

Na UniFil, o aprendiz tem acompanhamento nutricional, psicológico, fisioterápico e em outras áreas, de professores e estudantes dos cursos de graduação. Além do jiu-jitsu, a empresa pode escolher mais 11 modalidades para encaminhar adolescentes e jovens: atletismo, basquete, futebol, futsal, ginástica artística, handebol, judô, natação, voleibol, vôlei de praia e taekwondo.

Todas as empresas de médio e grande portes têm que contratar uma cota de aprendizes na faixa de 14 a 24 anos. A quantidade varia de 5% a 15%, de acordo com o número de funcionários. Muitas não contratam porque suas atividades apresentam situações de insalubridade, periculosidade e outros riscos no ambiente de produção. O programa Aprendiz Atleta é uma alternativa para cumprir a cota de contratação prevista na legislação.

No Aprendiz Atleta, a empresa pode formar equipe e participar de competições, divulgando sua marca nos uniformes. “O esporte sempre tem muita visibilidade, agrega valor por ser saudável e essencial para todos”, diz a professora.

Asimp/UniFil

Divulgação

Divulgação

Comentários:

De:
09/01/2017 às 08:57

Meu filho quer se inscrever para ser atleta aprendiz e não sei como faço. Poderiam me auxiliar por favor. Obrigado


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios