Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A competição será em homenagem a Matheus Lupi de Souza, jovem enxadrista que faleceu aos 13 anos em Londrina

A Biblioteca Pública Municipal de Londrina Pedro Viriato Parigot de Souza irá iniciar, no próximo sábado (22), às 13h30, a edição de 2020 dos torneios de xadrez, que ocorrem mensalmente no local em parceria com o professor, Tiago de Almeida. O evento levará o nome de Matheus Lupi de Souza, jovem enxadrista que faleceu aos 13 anos na cidade. Ele  representava Londrina em competições estaduais. A Biblioteca Pública Municipal fica na Avenida Rio de Janeiro, 413.

Interessados em se inscrever na competição devem entrar no grupo de Whatsapp do torneio (https://chat.whatsapp.com/FWnb433iMqDFzqIXUpCF4M) ou enviar uma mensagem através do celular do professor Almeida, pelo (43) 99120-4822. As vagas são limitadas a 100 pessoas e a taxa de inscrição é opcional. “Neste ano os campeonatos não terão, obrigatoriamente, um custo. O que a gente pede é a colaboração baseada numa simples questão, quem puder ajudar, ajuda. Os torneios na Biblioteca são voltados para a comunidade. Portanto, quem quiser contribuir para a compra de medalhas e troféus pode realizar o pagamento de qualquer valor”, frisou.

As categorias do campeonato serão divididas por idade: mirim, de 0 até 8 anos (indivíduos nascidos a partir de 2011); infantil, de 9 até 10 anos (nascidos a partir de 2009); juvenil, de 11 até 17 anos (nascidos a partir de 2002); e adulto, acima de 18 anos. Já o ritmo de jogo será o 3,02 (blitz), isto é, partidas com duração máxima de três minutos. Esta é mais uma homenagem a Lupi de Souza, uma vez que foi nesta modalidade que o jovem se sagrou como terceiro melhor enxadrista, entre garotos de até 10 anos, do Paraná.

O ano de 2020 será o terceiro consecutivo em que a Biblioteca Pública Municipal recebe os torneios de xadrez com periodicidade mensal. De acordo com Almeida, as atividades são uma forma de aprimorar a capacidade de raciocínio das pessoas. “Países de primeiro mundo, como Estados Unidos e Inglaterra, desenvolvem o xadrez para o aprimoramento intelectual da sociedade.   Na Biblioteca a gente tenta difundir este esporte com o mesmo intuito desses países. É uma forma de amplificar a capacidade de raciocínio das pessoas”, disse.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios