Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A competição será em homenagem a Matheus Lupi de Souza, jovem enxadrista que faleceu aos 13 anos em Londrina

A Biblioteca Pública Municipal de Londrina Pedro Viriato Parigot de Souza irá iniciar, no próximo sábado (22), às 13h30, a edição de 2020 dos torneios de xadrez, que ocorrem mensalmente no local em parceria com o professor, Tiago de Almeida. O evento levará o nome de Matheus Lupi de Souza, jovem enxadrista que faleceu aos 13 anos na cidade. Ele  representava Londrina em competições estaduais. A Biblioteca Pública Municipal fica na Avenida Rio de Janeiro, 413.

Interessados em se inscrever na competição devem entrar no grupo de Whatsapp do torneio (https://chat.whatsapp.com/FWnb433iMqDFzqIXUpCF4M) ou enviar uma mensagem através do celular do professor Almeida, pelo (43) 99120-4822. As vagas são limitadas a 100 pessoas e a taxa de inscrição é opcional. “Neste ano os campeonatos não terão, obrigatoriamente, um custo. O que a gente pede é a colaboração baseada numa simples questão, quem puder ajudar, ajuda. Os torneios na Biblioteca são voltados para a comunidade. Portanto, quem quiser contribuir para a compra de medalhas e troféus pode realizar o pagamento de qualquer valor”, frisou.

As categorias do campeonato serão divididas por idade: mirim, de 0 até 8 anos (indivíduos nascidos a partir de 2011); infantil, de 9 até 10 anos (nascidos a partir de 2009); juvenil, de 11 até 17 anos (nascidos a partir de 2002); e adulto, acima de 18 anos. Já o ritmo de jogo será o 3,02 (blitz), isto é, partidas com duração máxima de três minutos. Esta é mais uma homenagem a Lupi de Souza, uma vez que foi nesta modalidade que o jovem se sagrou como terceiro melhor enxadrista, entre garotos de até 10 anos, do Paraná.

O ano de 2020 será o terceiro consecutivo em que a Biblioteca Pública Municipal recebe os torneios de xadrez com periodicidade mensal. De acordo com Almeida, as atividades são uma forma de aprimorar a capacidade de raciocínio das pessoas. “Países de primeiro mundo, como Estados Unidos e Inglaterra, desenvolvem o xadrez para o aprimoramento intelectual da sociedade.   Na Biblioteca a gente tenta difundir este esporte com o mesmo intuito desses países. É uma forma de amplificar a capacidade de raciocínio das pessoas”, disse.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.