Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

A jogadora de vôlei cambeense Isadora Lichtenthaler, de 12 anos, está se transferindo para São Paulo, onde vai defender o Clube Paineiras, um dos maiores pólos de formação de talentos do vôlei brasileiro. A atleta começou a treinar aos nove anos no Cambé Vôlei, projeto desenvolvido pelo professor de Educação Física Reginaldo Mazzola através da Secretaria de Esportes de Cambé, que reunia cerca de 300 atletas até o início da pandemia. A princípio, a apresentação da atleta seria na próxima segunda-feira (05), mas por conta do cenário pandêmico e as medidas restritivas em São Paulo, a menina vai se apresentar ao clube apenas no dia 15 de abril.

Segundo Mazzola, técnico de Isadora, ela começou a treinar no projeto no Jardim Santo Amaro e, após um período de trabalho, foi integrada na base de treinamentos da equipe sub-14 no pólo do Ginásio de Esportes João de Deus. “Mesmo sendo mais nova que as outras meninas, ela conseguiu se adaptar rápido. Ao longo desses anos ela jogou a Liga de Voleibol do Paraná, com resultados expressivos na categoria sub-14”, ressalta. O treinador ainda pontua que em 2019 o time em que Isadora participava foi vice campeão da Liga de Voleibol do Paraná - Etapa de Cambé, perdendo a final para o time de Guarapuava. “Ela é uma atleta bastante dedicada em seus propósitos e, apesar de ter 12 anos, está ousando buscar seus sonhos fora de Cambé”, complementa Mazzola.

Wailtom Lichtenthaler, pai de Isadora, esclarece que a menina já treinava hipismo desde criança, mas por conta de alguns percalços ela decidiu parar com o esporte. “Então eu comecei a chamar ela para participar do vôlei, o Mazzola estava com o projeto aqui no Santo Amaro. Conforme o tempo foi passando ela foi se apaixonando pelo esporte e foi subindo de categoria. O Mazzola foi percebendo que ela estava evoluindo, então começou a ser convocada para jogar nas competições”, explica o pai. Ele ainda ressalta que durante a pandemia as atividades foram suspensas, então contrataram um treinador para que ela não ficasse parada. “Desde então ela ganhou bastante altura, já está com cerca de 1,70m”, pontua.

Sobre como surgiu a oportunidade de ingressar no time de São Paulo, Wailtom Lichtenthaler explica que após ver um comunicado do Mazzola em um grupo de WhatsApp avisando que um clube de São Paulo estava com um processo seletivo aberto, eles fizeram a inscrição de Isadora. “Depois de um tempo eu recebi uma ligação nos avisando que ela tinha sido selecionada para passar por uma avaliação no clube. Ela ficou cerca de uma semana no Paineiras passando pelos testes”, explica. Das 14 meninas selecionadas, apenas Isadora foi aprovada. “Nós já assinamos o contrato com o clube e ela já está treinando por meio de videoaulas com os treinadores do Painera”, pontua. O pai de Isadora fala que a primeira competição da filha com o novo clube vai ser em maio, durante o Campeonato Paulista.

Sobre a oportunidade de Isadora em competir fora, segundo Reginaldo Mazzola, isso demonstra que a estrutura e o trabalho que está sendo desenvolvido estão gerando bons frutos. “Graças a uma grande estrutura física, de materiais e de profissionais que o município proporciona, isso faz com que sejamos uma referência na iniciação do voleibol”, finaliza.

NCPMC

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios