Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

No Japão, atleta tornou-se a primeira brasileira a disputar uma final olímpica da canoagem slalom.

A canoísta brasileira Ana Sátila está de volta ao Brasil, após a sua participação nos Jogos Olímpicos do Japão, onde foi a primeira atleta brasileira a participar de uma final olímpica da canoagem slalom. Na segunda-feira (9), ela recebeu homenagens no Canal Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR), onde reside.

Participaram da homenagem diretores da Itaipu e representantes da Prefeitura de Foz do Iguaçu, da Federação Paranaense de Canoagem (Fepacan) e do Instituto Meninos do Lago (Imel), mantido pela binacional.

O diretor-geral brasileiro da Itaipu, general João Francisco Ferreira, destacou os feitos da atleta, bem como a importância do apoio da empresa à canoagem nacional. “Esta é a nossa recompensa. É um investimento que vale a pena principalmente pelos resultados que proporciona, porque mais do que formar atletas, forma cidadãos”, afirmou o diretor.

Aos 25 anos e cursando Educação Física, Ana Sátila ocupa a terceira colocação no ranking mundial. Já obteve primeiros lugares em duas etapas do campeonato mundial de canoagem slalom: no Rio de Janeiro, em 2018, e em Tacen (Eslovênia), em 2020. Conquistou três medalhas de ouro e uma de prata em jogos pan-americanos. Em Tóquio, registrou sua terceira participação olímpica, na qual encerrou a prova final na categoria C-1 em 10º lugar.

“Não foi uma preparação fácil, por conta da pandemia”, contou Ana Sátila. “E também não foi o resultado que eu esperava. Poderia ter ido muito além e ter conquistado uma medalha. Mas nem sempre a gente consegue colocar naquele minuto tudo o que a gente precisa. Voltei para casa com vontade de treinar mais ainda para representar o Brasil em Paris, em 2024”, disse a canoísta, que, ao fim da homenagem, ainda plantou uma árvore (uma cerejeira) com o seu nome junto ao Canal Itaipu – sua principal pista de treinamento.

Também participaram o secretário de Esportes de Foz do Iguaçu, Antonio Aparecido Sapia; a secretária de Educação do município, Maria Justina da Silva; e o diretor de Coordenação da Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell. Durante o evento, as autoridades manifestaram a intenção de seguir apoiando a canoagem brasileira.

Apoio ao esporte

Além de apoiar a seleção permanente de canoagem slalom, a Itaipu também desenvolve o projeto Meninos do Lago, criado em 2009, por meio de uma parceria entre a empresa, a Federação Paranaense de Canoagem (Fepacan) e a Prefeitura de Foz do Iguaçu.

O projeto tem como objetivo oferecer treinamento de canoagem slalom para crianças e adolescentes entre 7 e 18 anos (matriculados na rede pública de ensino, no contraturno escolar) e incentivar a prática da atividade esportiva, além de promover o estudo e a socialização dos jovens participantes.

A iniciativa atendeu a 1.195 pessoas apenas nos primeiros dez anos. Em 2011, os atletas de alto rendimento passaram a integrar o Instituto Meninos do Lago (Imel), um dos desdobramentos do projeto, que revelou atletas como o iguaçuense Felipe Borges, medalhista pan-americano.

Hoje, o Imel está consolidado como a principal escola de canoagem slalom do brasil e vem dominando o ranking nacional da Confederação Brasileira na última década. Em 2019, o projeto abriu vagas para a paracanoagem e atualmente atende a cerca de 400 pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos.

Asimp/ Itaipu Binacional

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.