Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Começou ontem (09) o Simpósio Política de Esportes: Desafios e Compromissos com o Futuro, promovido pelo Governo do Estado para debater com a comunidade a nova Política de Esportes do Paraná. O evento de três dias, realizado no Colégio Militar de Curitiba, em parceria com a Escola de Gestão do governo, reúne 125 participantes – gestores, professores de educação física e representantes de universidades, federações esportivas, clubes e entidades do terceiro setor que desenvolvem o esporte. 

Na abertura do simpósio, o secretário do Esporte e do Turismo, Douglas Fabrício, ressaltou que uma discussão semelhante foi feita na área do turismo, com a criação do MasterPlan 2026, um debate que envolveu todo o trade. “O esporte tem ligação direta com o turismo. A atividade também gera emprego e renda, mas faz crescer também as áreas de educação, saúde, segurança pública e social e a integração de pessoas”, destacou. 

O trabalho atual começou há quase dois anos, com o Programa Paraná Mais Esporte, que fez um diagnóstico da atual situação e das principais necessidades de 372 municípios. A partir do diagnóstico, a Secretaria do Esporte e do Turismo, em parceria com diversas entidades ligadas ao esporte, elaborou a Política de Esportes do Paraná. 

“A Política de Esportes do Paraná vai desenvolver uma série de atividades que serão de grande importância para o nosso estado”, afirmou o comandante do Colégio Militar, coronel Sérgio Mesquita dos Santos, na recepção aos participantes. 

DISCUSSÃO - O seminário Desafios da Gestão Estratégica no Esporte foi a primeira atividade do evento. O palestrante Alexandre Borges, diretor do Instituto Publix, chamou a atenção para a governança de resultados. “A Politica de Esportes só poderá ser implantada se houver comprometimento de todas as entidades envolvidas. E não se gera comprometimento se cada um da equipe não souber claramente o seu papel no todo. Por isso, é fundamental a participação dos municípios, das federações, dos clubes nesta discussão”, comentou. 

Primeiro paranaense a disputar uma Olimpíada na esgrima, em Londres 2012, repetindo o feito na Rio 2016, Athos Schwantes, 12 vezes campeão brasileiro na espada, falou sobre a carreira e as dificuldades enfrentadas até se tornar um atleta profissional. Ele destacou a importância dos patrocínios e do trabalho em equipe para o esporte. “O Talento Olímpico do Paraná é o maior programa de bolsas para atletas entre todos os estados e tenho muito orgulho de fazer parte desse time”, afirmou. 

Antônio Eduardo Branco, presidente do Conselho Regional de Educação Física (Cref), ressaltou a importância de se apoiar os grandes talentos do esporte desde o início da carreira. “A escola é a base de tudo isso. Precisamos nos preparar para atender os jovens na escola”, afirmou. 

O pesquisador Pablo Juan Greco abordou também a importância do esporte na vida das crianças e adolescentes. “Não temos que pensar apenas no ensino e no aprendizado, mas também na detecção de talentos”, disse. 

POLÍTICA DE ESPORTES – Quem apresentou detalhes da Política de Esportes do Paraná foi o professor Dilson Martins, da Assessoria de Ação Estratégica da Secretaria do Esporte e do Turismo. O documento, que fundamenta as ações públicas do setor para os próximos anos, foi construído a partir da realidade e demandas apresentadas pelos municípios que participaram das discussões, ao lado das mais variadas entidades esportivas. 

HOMENAGEM - Durante o simpósio, a presidente da Associação dos Municípios da Cantuquiriguaçu e prefeita de Virmond, Lenita Mierzva, fez uma homenagem ao Governo do Estado pelo apoio na realização dos Jogos Abertos do Vale da Cantuquiriguaçu (Jarcans). 

A prefeita entregou uma placa ao secretário Douglas Fabrício. Os Jarcans foram realizados em agosto, com sede compartilhada entre Cantagalo e Virmond, e reuniram três mil atletas de 18 municípios da região.

AEN
 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios