Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Publicações diárias nas redes sociais trazem resultado dos Jogos Paralímpicos, quadro de medalhas e orientação sobre as modalidades

A Fundação de Esportes de Londrina (FEL) dá continuidade à cobertura dos jogos de Tóquio, e lançou na última segunda-feira (23) a Central Paralímpica. Assim como realizou durante os Jogos Olímpicos, a FEL está divulgando as modalidades paralímpicas, com curiosidades e dados históricos, resultado das competições e quadro de medalhas.

As Paralimpíadas tiveram abertura na terça-feira (24), e a delegação brasileira da atual edição é a maior da história, com 236 atletas titulares que vão competir em 20 dentre as 22 modalidades.

A equipe da Central Paralímpica da FEL é formada pelo presidente da Fundação, Marcelo Oguido; o assessor de Esportes e Eventos, Sandro Moreira dos Santos; os educadores físicos Junior Dias, Alexandre Venâncio e Maurício Rosa; mais os estagiários Amanda Vilela e João Pedro Flosi.

O presidente da FEL, Marcelo Oguido, disse que as Olimpíadas e Paralimpíadas são os maiores jogos esportivos mundiais, que atletas e paratletas de todas as modalidades sonham em disputar. “Acompanhar esses eventos é importante para quem está começando a praticar, para ter em quem se espelhar e motivar a se desenvolver. Nosso intuito é divulgar esse e outros eventos, fomentando a prática esportiva e paradesportiva em nossa cidade”, disse.

Diariamente, eles realizam uma média de quatro postagens nas mídias sociais da Fundação de Esportes, Instagram Facebook, incluindo vídeos, fotos e textos. Além de esclarecer sobre as modalidades praticadas pelos atletas com deficiência, a equipe dá destaque aos brasileiros, com atenção especial aos paratletas paranaenses e de Londrina.

A cidade conta com dois representantes nas Paralimpíadas de Tóquio 2020. Na paracanoagem, Giovane Vieira de Paula compete nas categorias KL3 (caiaque) e VL3 (canoa). Sua equipe é contemplada pelo Fundo Especial de Incentivo a Projetos Esportivos (Feipe), programa de patrocínio da Prefeitura.  E, com a modalidade do parataekwondo estreando nos Jogos, a seleção brasileira tem como coordenador esportivo o londrinense Rodrigo Ferla. Ambos iniciam sua participação no dia 2 de setembro.

Segundo o assessor de Esportes e Eventos da FEL, Sandro Moreira dos Santos, a Central Olímpica teve boa repercussão e fez bastante sucesso, o que motivou a realização da sua versão para os Jogos Paralímpicos. “Recebemos muito apoio e incentivo do prefeito Marcelo Belinati, e queremos contribuir com a divulgação das Paralimpíadas, que de forma geral costuma receber uma atenção menor. Além disso, a Prefeitura de Londrina investe quase R$300 mil nos esportes paraolímpicos; essa é mais uma ação para fomentar e incentivar as pessoas com deficiência a procurarem atividades e esportes que melhorem sua vida e sua saúde”, destacou.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.