Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Diversos projetos, eventos e melhorias foram realizados em Londrina; expectativa para 2019 é ampliação de grandes eventos

Para estimular as crianças, jovens e adultos a praticarem atividades físicas e, consequentemente, a terem uma vida mais saudável, a Fundação de Esportes de Londrina (FEL) realizou diversas atividades, projetos e trouxe vários campeonatos e atrações esportivas para a cidade em 2018.

Segundo o presidente da FEL, Fernando Madureira, 2018 foi um ano muito produtivo para a fundação. “Foi muito bacana, porque nós conseguimos superar todas as metas que fizemos e os resultados que obtivemos em 2017. Conseguimos fortalecer e aumentar o número de projetos sociais, repassarmos um valor maior para os projetos esportivos e atrairmos mais eventos esportivos, através de parcerias, para nossa cidade, atraiando assim mais dinheiro para Londrina. Em 2019, esperamos fortalecer ainda mais esse processo e fazermos com que o esporte realmente possa cumprir com seu papel, promovendo o bem-estar social, a saúde e prevenção de doenças”.

No ano passado, através das parcerias e tratativas da FEL com confederações esportivas, foi possível realizar 45 grandes eventos esportivos em Londrina. Entre eles estiveram o Paranaense de Tênis de Mesa, o Brasileiro de Kung Fu, o jogo do Palmeiras com o Paraná, provas pedestres de corrida, o Brasileiro GM, Paranense de Jiu Jitsu, Liga de Basquete, Parajaps, Jogos Abertos, Stock Car e outros.

Com estes eventos, o Município recebeu aproximadamente 340 mil pessoas em 2018, e houve um movimento de cerca de R$ 17 milhões na economia local, envolvendo rede hoteleira, taxistas e empresas de transporte, bares e restaurantes. Como comparativo, em 2017 foram realizados na cidade 30 grandes eventos, que trouxeram cerca de 200 mil visitantes para a cidade, movimentando R$ 10 milhões na economia local.

De acordo com o assessor de esportes de FEL, Sandro Henrique Moreira dos Santos, o cálculo médio de gastos na cidade é feito de acordo com os parâmetros da ACIL, em que cada pessoa tende a gastar cerca de R$ 50 por dia na cidade visitada. “A expectativa para 2019 é buscar vários eventos esportivos e atrações para Londrina, atraindo mais visitantes e atletas e suas equipes para a cidade. Isso é importante porque os campeonatos e eventos são um chamariz para novos participantes de atividades físicas. Além disso, aproxima as crianças de seus ídolos, motiva toda a comunidade para praticar exercícios físicos e estímula a participação e a formação de novos atletas”, explicou o assessor esportivo.

Projetos

Além desses grandes eventos, a FEL investiu em obras de recuperação de espaços e nos projetos esportivos para a comunidade. Com o Fundo Especial de Incentivo a Projetos Esportivos (FEIPE), por exemplo, entidades receberam financiamento para desenvolverem várias modalidades esportivas, e levar representantes da cidade em competições estaduais e nacionais. Em 2018, o edital do FEIPE disponibilizou R$5.700.000,00, o que representa quase o dobro dos valores aportados no ano anterior, que foram de R$3 milhões. Com esse montante, a fundação espera incentivar a prática de esportes durante o ano inteiro.

Ao todo, em 2018 foram aprovados pelo FEIPE 58 projetos, nos programas de formação esportiva da juventude, incentivo ao desenvolvimento do esporte adulto, modalidades esportivas alternativas, e apoio às ligas londrinenses, como de rugby, voleibol, taekwondo, badminton, handebol, judô, natação, tênis, futsal, triathlon, futebol americano e futebol.

Este ano, os projetos financiados pelo FEIPE também deverão ofertar um trabalho esportivo, social e pedagógico que atenda às regiões mais carentes de Londrina. Desse forma, além de ajudar no aprimoramento esportivo de atletas, a entidade financiada pela Prefeitura estará ajudando a crianças e jovens das áreas mais vulneráveis.

E no dia 21 de janeiro o Projeto Futuro deve fazer o chamamento de novos estagiários de Educação Física para suas atividades. A intenção é ampliar a oferta de serviços, passando de 30 polos para 50. Entre eles, estão as sedes das escolas municipais e estaduais, o Centro Esportivo Maria Cecília e as Praças da Juventude Norte e Sul. Há atividades recreativas, entretenimento, lazer e treinamento esportivo, como futsal, handebol, futebol, xadrez, taekwondo, ginástica corporal, basquete, vôlei, ginástica, hidroginástica e natação.

Com a ampliação do programa, cerca de cinco mil pessoas, entre crianças e jovens de 6 a 18 anos, adultos e idosos, poderão ser beneficiados. Isso porque, em 2018, mais de 3 mil cidadãos já participaram das atividades desse programa. Um número que só vem crescendo, visto que, em 2017, foram 1.618 pessoas.

De acordo com Santos, todos os estagiários da FEL receberão treinamento em primeiros socorros e técnicas de resgate em situações de afogamento, fraturas e lesões durante a prática esportiva. No ano passado, os alunos já receberam esse curso dos membros do Corpo de Bombeiros.

O Projeto Futuro trata-se de um trabalho esportivo, social e pedagógico. Ele atendeu crianças das cinco regiões e distritos do município de Londrina, proporcionando uma iniciação esportiva e condições de treinamento com qualidade, sem qualquer custo aos participantes. Além disso, grupos de atividades físicas, corridas e caminhadas para os adultos e idosos também foram ofertados. As aulas foram ministradas por acadêmicos dos cursos de Educação Física das universidades de Londrina, supervisionados por professores da FEL.

O projeto Esporte para Toda Vida também foi realizado durante o ano de 2018, com polos de atendimento no Centro Esportivo Maria Cecília e no Moringão. Ele ofertou atividades esportivas para crianças e jovens de 6 a 17 anos. Agora, ele foi incorporado pelo Projeto Futuro, que ampliará o atendimento nestes mesmos polos e continuará ofertando grupos de atividades, como o Ginástica para Todos e de Corrida e Caminhada.

Obras, reformas e revitalizações

Por meio de uma parceria com a Secretaria de Estado de Esporte e Turismo do Paraná, a Prefeitura de Londrina também recebeu quatro arenas esportivas com gramado sintético para a prática de esportes, um projeto Meu Campinho- que conta com campo, play ground para as crianças e uma academia ao ar livre para jovens e adultos- e quatro complexos esportivos, que têm um campo, uma pista de skate e meia quadra de basquete. Esses projetos foram alocados em diversos bairros, como o Jardim Santa Alice, Parque das Indústrias, Conjunto Cafezal, Jardim do Sol, Jardim Bandeirantes, Vista Bela, Santa Rita, Colégio Militar e no Centro Esportivo Maria Cecília.

Após 42 anos de espera, em 2017, o Município também instalou o Placar Eletrônico do Estádio do Café. O mesmo espaço, durante o ano de 2018, recebeu vários elogios das equipes de futebol que disputaram partidas. Um exemplo delas foi durante o jogo do Palmeiras com o Paraná, que enfrentou uma forte chuva sem impedir a continuidade do jogo.

Além disso, no início de 2018, a Prefeitura, por meio da FEL, reformou todo o piso do Ginásio Moringão, realizou a pintura do local e executou obras de segurança no local, permitindo que o espaço pudesse voltar a receber jogos de basquete e de volebol. Para 2019, está em processo de licitação a troca de todo o telhado do ginásio e a climatização ambiente do ginásio. Essas ações permitirão mais aconchego para os atletas, e para os torcedores e visitantes. Também está em processo de autorização junto à Companhia Paranaense de Energia (COPEL) a troca de toda a iluminação do Moringão por lâmpadas de LED.

Outro espaço reformado foi o Centro Esportivo Maria Cecília, que teve suas quadras revitalizadas. Além dele, a Prefeitura revitalizou os campinhos de futebol nos bairros da cidade, cortando a grama, roçando o mato e pintando os espaços. Com a ajuda das associações de moradores, diversos pedidos foram atendidos.

Eventos de 2019

Este ano, novas parcerias estão sendo estudadas para a atração de mais eventos, projetos e obras para o esporte de Londrina. Já estão confirmados os Jogos da Juventude do Paraná (JOJUPs) para outubro desse ano, Jogos Abertos Paradesportivos do Paraná (PARAJAPS) em junho, o Campeonato Brasileiro de Tênis de Mesa em março, e o Campeonato Brasileiro de Ginástica Rítmica em novembro. A Liga Ouro de Basquete deve ocorrer em fevereiro, assim como a Superliga Brasileira de Voleibol, sendo que as equipes já estão sendo montadas. Outras confederações, associações esportivas e equipes estão fechando seus calendários e as tratativas para atraí-las a Londrina estão sendo feitas pelos técnicos da FEL.

(Ana Paula Hedler/NCPML)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios