Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Alguns treinamentos estão sendo feitos pelos competidores em casa, com acompanhamento a distância pela comissão técnica

Mesmo em período de isolamento social e quarentena, por conta da pandemia do novo coronavírus, a equipe do Projeto Londrina Atletismo não tirou férias forçadas, a exemplo do que ocorre com a maior parte dos clubes brasileiros de futebol. Os treinos para os atletas continuam, com programação adaptada, e cada qual vem desenvolvendo seus cronogramas diários a partir de casa. Para continuar em atividade e manter o ritmo, eles contam com orientação da comissão técnica, que promove séries especiais de treinos individualizados aos competidores. Tudo isso alinhado às recomendações e orientações dos órgãos de saúde.

Em casa, os treinos acabam necessitando de adaptações, o que passa pela criatividade dos próprios atletas. Teve quem separou um lugar específico de casa para realizar suas atividades. Uma forma de se concentrar e extrair o máximo do treinamento. Como é o caso das gêmeas Emanuela e Gabriela Rodrigues. Elas separaram um espaço no quintal de casa para realizar suas atividades e contam que os treinos têm sido bastante proveitosos.

Emanuela disse que as duas treinam juntas e tentam se ajudar ao máximo, mesmo atuando com provas diferentes. “Nosso quintal é grande e conseguimos utilizar bem o espaço. Temos contado com a assistência, a distância, de nossos treinadores e isso também ajuda muito”, contou a competidora dos 400 metros rasos.

Para Gabriela, que faz provas combinadas, a criatividade é fator importante neste momento. “É preciso seguir trabalhando duro para não ficarmos em prejuízo quando as competições voltarem”, complementou.

A lançadora do dardo Shayara Cristina Ribeiro, vice-campeã brasileira sub-20 há três anos, não parou um dia sequer desde que a quarentena teve início. Ela contou com a ajuda do pai para montar uma mini academia no quintal de casa, onde tem realizado seus treinos diários, com acompanhamento quase que em tempo real da técnica Silvana Vieira, que está sempre atenta a todos os detalhes.

“Adaptação é muito importante nesse momento. A gente sabe que o momento é difícil para todos, mas não podemos ficar parados. Serve um pouco de reflexão também, para a gente ver o quanto precisamos do outro, da orientação próxima do treinador, dar mais valor a quem está ao nosso lado todos os dias nos orientando e incentivando, como os colegas e nossos treinadores”, falou a atleta.

“Temos procurado encontrar formas de trabalhar para não deixar ninguém sem treinos. Apesar do calendário estar parado, a gente precisa estar bem quando as competições voltarem. E temos tido um bom entendimento dessa fase com os atletas, com cada um cumprindo seus cronogramas e se protegendo, que é o mais importante”, ressaltou a técnica Silvana Vieira.

Além dos treinos individualizados à distância, a comissão técnica também tem coordenado com a realização de atividades com os atletas, se utilizando de plataformas de reunião online. “É um processo de adaptação e aprendizado também para nós, técnicos e professores. A tecnologia está aí para ser utilizada em nosso favor e isso vai poder nos ajudar também no futuro, quando tudo isso passar”, apontou o técnico e gestor do projeto Londrina Atletismo, Gilberto Miranda.

O Projeto Londrina Atletismo tem patrocínio da Prefeitura de Londrina e Fundação de Esportes de Londrina, através do Fundo Especial de Incentivo a Projetos Esportivos (Feipe), Instituto Paranaense de Esporte e Cultura (IPEC) e Colégio Ética; e parceria da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Maximus Assistencial, Ivot Ortopedia, Ômega Diagnósticos, Espaço Saúde Integral Londrina e Academia AS Fitness.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios