Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A professora de Ciências Mayssa Mascarenhas Grise Monteiro, da Escola Estadual Ângelo Trevisan, localizada no bairro Santa Felicidade, em Curitiba, fez parte da equipe brasileira feminina de esgrima que conquistou medalha de bronze no início de outubro, no torneio sul-americano da modalidade, realizado em Santiago, no Chile.

Ela destacou a importância do incentivo e a oportunidade de representar o Estado na competição. “Já participei de muitos campeonatos, mas representar o Paraná e Curitiba, com 36 anos, foi algo muito gratificante. Foi muito importante ter o apoio do Estado. É o reconhecimento que precisamos. Estar em sala de aula e apresentar a nossos alunos as oportunidades que o esporte pode trazer é um privilégio. Sou professora, fiz mestrado e doutorado e mesmo assim nunca abandonei o esporte”, lembrou.

A esgrima faz parte da vida da professora desde os 13 anos, quando teve o primeiro contato com o esporte por meio de um convite dos primos. Hoje Mayssa é a 10° colocada no ranking da Federação Brasileira de Esgrima (FBE). “O esporte me proporcionou coisas incríveis, como conhecer pessoas e lugares”, contou.

Além da medalha conquistada no torneio sul-americano, Mayssa coleciona uma série de títulos estaduais, nacionais, internacionais e participações na seletiva para a copa do mundo, Panamericano (Cuba) e Sul-americano (Argentina). Em setembro, Mayssa conquistou a medalha de bronze no Torneio Nacional Cidade de Belo Horizonte (MG), na categoria adulta, e nesse final de semana, a medalha de prata no Campeonato Paranaense de Esgrima na modalidade espada feminina categoria livre adulta.

“Apensar de algumas lesões, eu nunca desacreditei porque era movida por desafios e acreditava em meu sonho de voltar a competir em alto nível. Através do esporte eu poderia viajar e conhecer o mundo e ter oportunidades que não teria fora dele”, disse.

XADREZ EM MOVIMENTO - A esgrima proporciona agilidade de raciocínio, flexibilidade, condicionamento físico, disciplina e trabalho em equipe. Essas são algumas contribuições que o esporte proporciona aos atletas e que a professora Mayssa repassa a seus alunos. “Reforço isso para eles porque penso que esse é o papel do professor. Como esportista, eu acredito que eles precisam ter objetivos e o esporte proporciona uma infinidade de oportunidades que podem mudar a vida deles”, disse a professora.

Mayssa estuda junto com a escola a criação de um projeto para promover a esgrima entre os alunos. “A esgrima é considerada o xadrez em movimento, pelo desenvolvimento do raciocínio que o atleta precisa ter, a concentração, e esses são benefícios que refletem no processo de aprendizado e que eles vão levar para a vida”, frisou a professora.

PRATA DA CASA – Os estudantes do Ângelo Trevisan também são destaque em esportes. Pietra Maria Stival, 14 anos, do 9° ano do ensino fundamental, conquistou no último fim de semana a medalha de prata na final de taekwondo na 30° edição dos Jogos da Juventude (JOJUPs) Fase Final A (15 a 17 anos), realizado em Londrina. A competição começou na sexta-feira (20) e encerra no próximo sábado (28).

“Foi uma sensação muito boa, mesmo não tendo conquistado a medalha de ouro, porque sinto que dei o meu melhor”, contou a estudante, que é faixa vermelha.

Os primos Gustavo Paulista Silveira, 14 anos, do 9° ano, e Daniel Marques Paulista da Silva, de 14 anos e do 9° ano, também representaram a escola na competição, que reúne 4.457 estudantes-atletas de 83 municípios. São disputadas 18 modalidades: atletismo, badminton, basquete, ciclismo, futebol, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, karatê, natação, rugby, taekwondo, tênis, tênis de mesa, voleibol, vôlei de praia e xadrez.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios