Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O empate, segundo o imaginário do mundo do futebol, costuma ser um resultado morno, que pouco empolga as equipes e seus torcedores. É o tal do "ôxo", como costuma dizer a crônica esportiva.

Em Tamarana, no entanto, os empates foram ingredientes fundamentais para dar ainda mais sabor ao caldeirão de emoções das finais da 3ª Copa Gunga de Futsal, na sexta-feira (13).

Teve choro de criança, choro de marmanjo, bola na trave, gol perdido com o goleiro já batido e, claro, muita comemoração por parte dos campeões, suas famílias e amigos.

A noite mal havia começado no Ginásio Sérgio Yoshiaki Suzukawa, localizado no Complexo Esportivo Sebastião Sidônio de Araújo (Centro Social Urbano)... E deu empate logo na decisão do terceiro lugar do torneio sub-13 promovido para a garotada que treina no projeto da Diretoria municipal de Esportes. O jogo terminou em Vermelho 1 x 1 Amarelo. Os primeiros venceram a disputa nos pênaltis por 2 x 1.

Ainda no sub-13, mas desta vez na final, novo empate: Verde 2 x 2 Azul. Pênaltis novamente. E os meninos do time Azul se saíram melhor ao anotar 3 x 2 na sequência alternada de cobranças.

Já no sub-10, nada de igualdade no placar. A equipe Verde venceu o escrete Vermelho por 3 x 1 no embate pelo terceiro lugar. Além disso, na decisão, os garotos de Amarelo derrotaram os de Azul por 2 x 1.

O empate, todavia, logo voltou a dar as caras. E foi na Taça Prata da Copa Gunga. Em um duelo disputadíssimo, Irmandade e Os Primos ficaram no 3 x 3. Fim do tempo regulamentar, hora de levar a bola para a marca da penalidade máxima.

Teve início uma longa série de cobranças. Os Primos acertaram seus oito chutes ao gol. Já a Irmandade, que havia empatado a partida nos últimos instantes, desperdiçou um tento e, com ele, a chance de conquistar o caneco.

Pela finalíssima da Copa Gunga – a Taça Ouro – o time dos Bárbaros entrou em quadra contra o Jardim Juny para defender o título faturado em 2018. Decisão também bastante equilibrada, mas não deu para os campeões do ano passado. Foram derrotados pelo Jardim Juny por 2 x 1. Os ganhadores levaram o troféu para casa pela primeira vez.

Sílvia pede passagem

Entre as dezenas de homens e meninos que se enfrentaram nas finais, estava a pequena Sílvia Nataly Alves de Lima, de 11 anos. Ela defendeu as cores da equipe Verde, do sub-13. "É uma coisa bem difícil. [Se] você é uma menina, você não pode fazer aquilo, que é 'de moleque'", resumiu, quando perguntada sobre os desafios de jogar futebol.

Apoiada pelo professor de educação física Jesus Lisboa, que a treina no projeto da Diretoria de Esportes, Sílvia Nataly decidiu participar do torneio da base. Para ela, porém, ainda há diferentes obstáculos a serem superados para que o esporte ganhe em participação feminina. "Bem difícil conhecer outras [meninas que jogam futebol]", contou.

"O futebol é uma coisa que você não acha em outro lugar, mas, claro, tem que ter respeito [pelos adversários]", ensinou, por fim, a garota, que também elogiou a competição e disse que Tamarana precisa de mais iniciativas como essa.

Copa Edison Siena

O calendário esportivo organizado pela Diretoria municipal de Esportes terá continuidade em poucos dias, com a edição 2019 da Copa Edison Siena de Futebol. A primeira rodada já será em 29 de setembro, também no Complexo Esportivo Sebastião Sidônio de Araújo (Centro Social Urbano).

Veteranos do Aerta

Por falar em futebol, antigos boleiros da Associação Esportiva e Recreativa de Tamarana (Aerta) se reencontraram no feriado de Sete de Setembro para relembrar conquistas, trocar uma resenha e, claro, jogar bola. O evento ocorreu no Estádio Municipal Prefeito Edison Siena, no Centro Social Urbano.

Lucas Marcondes Araújo/Asimp

Penalidades para decidir Taça Prata Da Copa - Foto: Divulgação

Diretor de Esportes Juninho Bittencourt e garota Sílvia - Foto: Divulgação

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios