Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A 60ª Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina será realizada de 9 a 19 de abril, com uma ampla programação técnica e de lazer, que ocorrerá no Parque Ney Braga nas manhãs, tardes e noites. Serão palestras, simpósios, encontros, cursos, leilões, julgamentos, shows, reuniões, lançamentos de novos produtos da  indústria, da pesquisa e mais uma infinidade de eventos realizados pelos expositores em seus estandes.

Os diretores da Sociedade Rural do Paraná, entidade organizadora da ExpoLondrina, receberam a imprensa na manha desta quarta-feira, dia 12, para dar mais detalhes do evento.

“A exposição de Londrina é tão diversa e intensa que é possível a todos participar tanto para se divertir, encontrar amigos, assistir a um show, quanto para adquirir conhecimentos e maquinários que irão impactar no dia a dia dos profissionais da cadeia do agronegócio, independentemente do tamanho do negócio de cada um”, comenta o presidente da SRP, Antonio Sampaio.

A agenda de eventos está repleta. Entre os agendados estão os tradicionais Fórum do Agronegócio, que este tema terá como tema “Infraestrutura de Telecomunicação no Campo”, que acontece no dia 13 de abril; no dia 14 serão realizados o 19º Seminário de Aquicultura, o VII Ciclo de Palestras em Ovinocultura Moderna,  Seminário de Paisagismo,  4º Ciclo de Palestras em Direito Ambiental e Agronegócio; no dia 15, o Seminário Estadual de Turismo, o evento Construindo o Agro do Futuro, e o IV Simpósio de Equideocultura; no dia 16, o  Fórum Jurídico do Agronegócio, o VIII Simpósio de Eficiência em Produção e  Reprodução Animal; no dia 17, o III Simpósio de Pequenos Animais e Projeto Mulheraço, e abertura do V Hackathon, que prossegue até domingo (19).

“Teremos ainda dezenas de oficinas técnicas que acontecem na Via Rural/ Fazendinha”, completa Sampaio. No espaço, que terá entre os focos projetos estratégicos de promoção de renda e redução dos impactos sociais, serão disponibilizadas também informações tecnológicas geradas pela pesquisa e ainda será dado destaque para a agroecologia, conforme adianta Sérgio Carneiro, gerente Regional Emater-Londrina.

60 anos

A primeira exposição foi realizada em 1955, como primeira Exposição Agropecuária – embora já tenha tido uma prévia em 1954, mas restrita a apresentação de produtos agrícolas.

Naquela época, Londrina e região eram um centro reconhecido. Quem vinha conhecer a cidade nem acreditava no que via. Era o auge do ciclo de café e tinha muita produção – e claro, muito dinheiro – na região. Para ter uma ideia, dizia-se que se todos os aviões de empresas de táxi-aéreo que operavam na cidade resolvessem pousar de uma só vez, não caberiam na cidade.

Nos anos 50, Londrina chegou a figurar entre as cinco cidades de maior progresso em todo país, reconhecimento que está registrado nos arquivos do Instituto Brasileiro de Administração Municipal (Ibam), no Rio de Janeiro (RJ). O concurso, denominado Municípios de Maior Progresso, era realizado pelo Ibam e pela extinta revista “O Cruzeiro”.

A cidade crescia tão rápido que no censo de 1950 constava uma população de pouco mais de 72 mil habitantes. E no censo de 1960 já tinha quase dobrado: era 134.821 habitantes.

A Exposição crescia junto com a cidade. No começo, não era realizada todos os anos, mas com o passar do tempo a importância do evento foi ficando evidente por mostrar a importância do homem do campo, do seu trabalho, da tecnologia que vinha sendo desenvolvida e empregada para melhorar a produção agropecuária, além de gerar muitos negócios e proporcionar lazer à comunidade.

Em 1964, foi realizada a primeira exposição no Parque de Exposições Governador Ney Braga – antes era realizada nas dependências do Jockey Clube. Além de casa nova, a expô também ganhou novo nome Exposição Agro-Pecuária e Industrial do Estado do Paraná.

Campanha “Somos Todos Expô”

Para valorizar ainda mais a Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina, a Sociedade Rural do Paraná lançou a campanha “Somos Todos Expô”. O objetivo é que toda a região entre no clima da exposição. No lançamento da campanha, a SRP lançou também um desafio à comunidade: que ações cada segmento pode desenvolver, valorizando ainda mais um evento norte paranaense e que espalha para muitas regiões do Brasil um pouco desse espírito “pé-vermelho”?

A Sávio Sorvetes, que este ano completa 71 anos, abraçou a campanha e passou a imprimir a logo da Expô nas embalagens do picolé Casadinho, que será distribuído para várias regiões do Paraná e outros estados. Também a Brahma lançará a latinha da ExpoLondrina.

Números da Expô 2019

Movimentação Financeira: R$ 615.600,00 

Público:464.103

Visitação de alunos (visitas gratuitas): 17.103

Escolas Atendidas: 284

Excursões de Produtores: 163

Visitas à Via Rural/Fazandinha: 218.000

Oficinas: 58

Leilões: 14

Animais expostos: 6.900

Expositores (comercial e setor animal): 3.200

Empregos gerados (diretos e indiretos): 7.200

Expectativa 2020

A direção da SRP acredita que a ExpoLondrina 2020 possa superar alguns dos número alcançados  no ano passado. “Estamos trabalhando para que haja um aumento no número de visitantes, de expositores e, consequentemente, de faturamento. Temos um cenário bom, com maior estabilidade política e econômica e também esperamos por uma excelente safra de soja em nossa região. Isso tudo gera um clima bastante favorável”, conclui Sampaio.

Assimp/ExpoLondrina

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios