Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Fala Sério! 07/04/2010  17h02

Amor Perfeito?

Todos os poetas dizem que o ser humano é capaz de passar uma vida à sua procura, e acabar morrendo sem encontrá-lo, na solidão.

Aqueles que vêem a vida de forma mais descontraída e simplista logo diriam que bastaria ir a uma floricultura, e comprar logo uma dúzia deles, de todas e quantas cores quisesse, ora!

Quem sabe não seria esta a forma encontrada de esconder a frustração de quem já correu atrás e desistiu no meio do caminho.

Apesar de ter feito uma intensa procura, não consegui descobrir porque essa flor tem o nome de Amor Perfeito. Encontrei alguns dados interessantes que poderiam bem ser colocados em comparação com a vida.

Uma delas, é que a Amor Perfeito, é originária da Europa e que para ser verdadeira precisa ter três cores, assim como nossas vidas e nossos dias.

Uma para cada fase de nossas vidas, juventude, maturidade e velhice.

Ou então para nossos dias, como manhã, tarde e noite.

A juventude e a manhã são momentos de despertar, acordar para a vida, iniciar a busca do que seria perfeito.

A tarde e maturidade, seriam talvez os momentos em que estamos em realizações e quem sabe na crença de estarmos de posse da perfeição.

Na velhice e na noite, a alma está em busca do descanso final, no prazer de sentir a perfeição mesmo que fugidia do amor.

Fiquei sabendo também de que a Amor Perfeito somente se multiplica através de sementes, o que daria mais uma vez para colocá-la em nossas vidas.

Claro, porque afinal de contas, só teremos direito às suas três cores se soubermos semeá-la e cuidá-la, porque precisa como o ser humano de momentos de locais amenos e em outros de maior luminosidade. Como nós, não?

Amor Perfeito?

Porque não.

Com a única diferença de que, a Amor Perfeito, tem cores, beijos de beija flores, palavras de carinho, cuidados e amor desde que mostra seus primeiros brotos.

Na vida, na maioria das vezes, o nosso Amor Perfeito não tem nome, ou se tem, por que será que custamos tanto a descobri-lo?

Só tem uma coisa que até hoje não consegui descobrir.

Por que será que depois de passar a vida o procurando, sempre mandamos ROSAS ao nosso Amor Perfeito?

Deixa prá lá!

Antonio Jorge Rettenmaier, Escritor, Cronista e Palestrante, membro da AGEI, Associação Gaúcha dos Escritores Independentes. Esta coluna está em 70 jornais impressos e eletrônicos do Brasil e Exterior.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios


Notice: Undefined variable: usuario_tk in /var/www/vhosts/jornaluniao.com.br/httpdocs/widget_footer.php on line 245
NULL