Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Fala Sério! 08/05/2009  09h47

Dunga, o Feliz!

 

Não tem nada a ver com nosso Dunga da Seleção Brasileira, não!

Mas me perdoem voltar à minha juventude, 16 anos, primeiro emprego de carteira assinada, auxiliar de balconista de uma loja de ferragens. 

No primeiro dia de trabalho logo fui apresentado e fiz amizade com o Dunga como todo mundo o chamava, embora seu nome fosse Hercilio e com H como ele mesmo gostava de frisar, porque iria precisar muito dele, pois afinal de contas era é quem sabia o que tinha ou não no depósito e onde estavam as coisas sempre nem organizadas.

Varria a loja toda, cuidava do depósito, era o encarregado do trabalho pesado na entrega das encomendas, fazia as roscas nos canos galvanizados, e cortava na serra de mão, cabos de aço de até três polegadas.

Final da tarde, seis horas, tomava banho, trocava de roupa e ia para casa, onde tinha esposa e filhos esperando, mas sempre assava na padaria, pães, sonhos para a mulher e cuca para ele e balas para a molecada. E lá se ia o Dunga em sua velha bicicleta, a Branca de Neve como ele a chamava.

O apelido Dunga recebera ainda menino, estrábico, pés e orelhas fora dos padrões, baixinho e entroncadinho. Não era preciso ficar conferindo muito para reconhecer nele o Dunga dos Sete Anões.

Mas nas manhãs de domingo desfilava com a mulher e os filhos na missa das oito, ao meio-dia assava sua costelinha gorda e a noite, deixava as crianças na casa da sogra para ir ao cinema com a mulher. Todo feliz!

Mas vocês são maldosos se pensam, para casar com um cara destes só outra pessoa feia! Que nada! Não lembro o nome, mas era mais alta do que ele. E linda! E tinha prazer de dizer que era apaixonada pelo Hercilinho, pois a beleza dele estava em cada gesto, palavra, carinho, ou canteiro do quintal de casa.

Como sempre fui muito metido a besta, e às vezes até faço perguntas meio desbaratadas, ele não escapou também. Perguntei-lhe: “Dunga, como você está sempre feliz?”

Ele me deu uma risada e só disse: “É muito mais difícil ser infeliz, rapaz! É preciso gastar muitos dias da vida da gente para cultivar a raiva, sentir muita inveja, esquecer de como é bom ser amigo, gostar das outras pessoas, saber dar amizade e assim também não dar chances de alguém gostar de voce! Por isso posso lhe garantir: é muito, mas muito mais difícil mesmo, ser infeliz!”

É... O Dunga era feliz! Sabia ser feliz!

Ou não é verdade?

E completando quatro anos de circulação nosso parceiro “O Divisor” de Diamantino, estado do Mato Grosso. Parabéns ao Marcio Mendes e toda sua equipe. Email do Divisor para cumprimentos é marciomendesdtno@hotmail.com.

E a partir desta semana sejam bem-vindos ao grupo de parceiros do Fala Sério! o Jornal RS115 de Igrejinha, Correio Dinâmico de Alvorada, Gazeta dos Pampas de Cacequi e Gazeta do Vale de todos no RS e ainda O Trentino de Nova Trento-SC e o site www.noticianahora.com.br de Porto Velho em Rondônia.

Um abraço e até semana que vem, porque ninguém ainda acertou o desafio da semana passada! Poxa!

Escritor, colunista e palestrante, membro da AGEI, Associação Gaúcha dos Escritores Independentes.

ajrettenmaier@terra.com.br, fala-serio2009@hotmail.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios


Notice: Undefined variable: usuario_tk in /var/www/vhosts/jornaluniao.com.br/httpdocs/widget_footer.php on line 245
NULL