Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Olha aqui ô cara!

Desde que me entendo por gente que me contavam a história de que devíamos lhe escrever uma cartinha dizendo o que queríamos no Natal, e assim ano após ano, eu pedia uma bola de couro e você me dava uma de borracha, queria um carrinho de corda e você me dava um de plástico, lhe pedia um tênis conga e você me dava um par de alpargatas roda, lhe pedia um par de chuteiras e você me dava um ki chute. Ora bolas! Até que um dia cansei e deixei clara minha insatisfação quando você esteve na casa de minha mãe. Você me lembra daquela noite, cara? Quase me fez entrar em  parafuso, ao dizer que eu não ganhava o que pedia porque não havia sido um bom menino durante o ano.  Como não tinha sido um bom menino? Se deixara de incomodar os cachorros dos vizinhos, não mais roubava ovos no galinheiro de minha tia e muitos menos sequer puxava o rabo do gato da minha madrinha! Ora bolas! E então, como não tinha sido comportado? Minha sorte foi ter descoberto logo depois toda a verdade e resolvi deixar por isso mesmo, porque afinal de contas, a velha não tinha mesmo como atender meus sonhos.

Agora, depois de tantos anos, eu volto a lhe escrever, e espero que desta vez você me atenda.

Por favor, se possível, dê aos meus amigos que estão tristes por qualquer motivo um copo de felicidade. Àqueles que estão quase que deprimidos, uma nova chama de esperança. Aos  que estão sem carinho, uma nova chance de amor. Olha aqui, ó! Não precisa realizar todos os sonhos deles não, mas pelo menos aquele que eles mais gostariam de ver concretizado, até porque aprendi naqueles velhos tempos que nem sempre a realização de todos os desejos traz a felicidade. Um pouco de paz, amor, serenidade, já estaria de bom tamanho. O resto eles dão um jeito, pode apostar!

Bom... e para mim velho, manda um rolo daqueles de papel toalha para enxugar o choro e assuar o nariz, porque afinal de contas, se eles tiverem, não vai dar para segurar não, eu também serei, um Feliz Natal!

Antonio Jorge Rettenmaier, cronista, escritor e palestrante. Esta coluna está em mais de 80 jornais no Brasil e Exterior. A sonora desta crônica, vocês podem conferir no site www.recantodasletras.com.br – autores – buscar com ajrettenmaier – Audios – Carta ao Papai Noel! Contatos, ajrs010@gmail.com.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios


Notice: Undefined variable: usuario_tk in /var/www/vhosts/jornaluniao.com.br/httpdocs/widget_footer.php on line 245
NULL