Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Futebol 04/06/2021  13h30

Seleção de 2002, o que nos levou à vitória

Com atuações espetaculares dos três “Rs”, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Rivaldo, o Brasil garantiu o título inédito de pentacampeão

Foto Divulgação

Se você tem mais de 20 anos, provavelmente se lembra da Copa de 2002, em que a Seleção Brasileira se tornaria a primeira em conquistar o pentacampeonato mundial, sendo a única a ter cinco títulos até os dias de hoje.

Após uma derrota na final para a França, em 1998, o Brasil chegou à Copa do Mundo de 2002 desacreditado. Além disso, o rendimento da Seleção nas eliminatórias foi abaixo do esperado e a equipe só conseguiu uma vaga no mundial na penúltima rodada.

Outro fator preocupante para a comissão técnica e os jogadores era a saúde de Ronaldo Fenômeno. O craque, que na época atuava pelo time italiano Internazionale, havia passado por diversas operações no joelho pouco antes do mundial e ainda era incerto como seria seu rendimento. 

Porém, o que a Seleção Brasileira de 2002 mostrou aos fãs de futebol é que não se pode subestimar uma equipe recheada de craques!

Além do trio formado por Rivaldo, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho, o Brasil ainda contava com Cafu, Roberto Carlos, Juninho Paulista e o goleiro Marcos, que fizeram bonito e trouxeram o título para casa.

Histórico da equipe

Antes de Luiz Felipe Scolari assumir o comando técnico da Seleção, três técnicos haviam passado pelo posto: Vanderlei Luxemburgo, Candinho e Emerson Leão. Nenhum conseguiu dar uma “cara” à equipe.

Scolari, que tinha fama de “durão” e ótimas passagens pelas equipes do Grêmio e Palmeiras, foi então contratado para conduzir a Seleção Brasileira ao que seria a sua vitória.

No entanto, o Brasil estava longe de ser considerado um dos favoritos da Copa do Mundo, devido ao vexame que passou na Copa América de 2001, quando foi eliminado nas quartas de finais para a inexpressiva equipe de Honduras, por 2x0.

As Seleções favoritas ao título eram, até então, França, vencedora do mundial de 1998, Inglaterra, Argentina, Itália e Alemanha.

Trajetória no mundial

Classificado para o mundial, a Seleção Brasileira era cabeça chave do Grupo C da Copa, ao lado de Turquia, Costa Rica e China.

O Brasil estreou contra os turcos em um jogo difícil, já que a equipe adversária tinha um bom esquema tático. A Turquia conseguiu abrir o placar no final da primeira etapa, deixando os torcedores brasileiros assustados. Porém, Ronaldo e Rivaldo marcaram para a Seleção, fechando o placar em 2x1.

Já no segundo duelo, a equipe brasileira goleou a China por 4x0 com gols protagonizados pelos Rs da Seleção, Roberto Carlos, Rivaldo, Ronaldinho e Ronaldo.

No último jogo contra a Costa Rica, o Brasil balançou as redes 5 vezes contra 2 da equipe adversária, com dois gols do Fenômeno, que mostrou que não seriam suas antigas lesões que atrapalhariam seu desempenho na Copa.

Na fase do mata-mata, o primeiro jogo contra a Bélgica foi truncado e cheio de bolas aéreas por parte do time adversário, sendo necessárias várias defesas do goleiro Marcos. Porém, as estrelas de Rivaldo e Ronaldo brilharam mais uma vez, fechando o placar em 2x0.

O Brasil então se veria frente a frente com o “English Team”, um dos favoritos à Taça. A Seleção Inglesa saiu na frente, depois de uma falha do zagueiro Lúcio. A equipe brasileira, no entanto, não se abalou, e Ronaldinho Gaúcho mostrou ao que veio, dando o passe para o gol de empate, anotado por Rivaldo. Ronaldinho ainda viria a fazer um gol espetacular de falta, garantindo a vitória brasileira por 2x1.

Na semifinal, o Brasil enfrentaria mais uma vez a equipe turca, que estava com sede de vingança por conta do primeiro jogo. Novamente, a Seleção Canarinho se saiu melhor, com um gol de bico feito por Ronaldo Fenômeno, que carimbou o passaporte da equipe para as finais.

Duas das seleções mais bem-sucedidas da história do mundial, Brasil e Alemanha se enfrentariam pela primeira vez em uma decisão de Copa do Mundo, deixando a expectativa do público em todo o mundo lá em cima.

O jogo foi marcado pela resistência física da equipe alemã e a paciência no toque de bola do time brasileiro.

O bom desempenho da Alemanha no primeiro tempo e as defesas de seu goleiro, Oliver Kahn, eleito o craque da Copa, seguraram o placar no primeiro tempo. 

Porém, foi a atuação fenomenal de Ronaldo no segundo tempo - que anotou dois gols e entrou para a história, ao marcar oito gols em sete jogos, feito que não acontecia desde 1974 - que garantiu a conquista de um título inédito.

Após uma campanha invicta, o mundo do futebol ficou, mais uma vez, verde e amarelo.  Ah, e se você ama esportes, não deixe de conferir o mais novo hub de conteúdo sobre o tema. É o blog da KTO que traz notícias quentinhas sobre futebol, basquete, NFL e muito mais.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios