Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em 19 de maio celebra-se o Dia Mundial da Doação de Leite Humano. Diante disso, é necessário ressaltar a importância do aleitamento materno. O leite humano é uma fonte de nutrientes, suas vantagens passam por questões emocionais, psicológicas, hormonais e de prevenção de doenças da mãe e do bebê.

Segundo a nutricionista Anna Carolina de Almeida (CRN-8 11446), os reflexos do aleitamento materno vão até a vida adulta. "Quando falamos dos componentes nutricionais, entre tantos outros, podemos ressaltar dois pontos importantes: os componentes imunológicos e a quantidade/qualidade da proteína do leite humano” enfatiza Anna.

“Sobre os componentes imunológicos, a importância se reforça com o fato de que nenhuma fórmula infantil industrializada é capaz de oferecer tais substâncias. E são elas que conferem ao bebê a condição de desenvolver seu sistema imune da melhor maneira. Nesse sentido, os reflexos do aleitamento materno vão até a vida adulta.

Importante ressaltar também que a quantidade e qualidade da proteína do leite humano são perfeitamente adequados ao metabolismo dos bebês e ao seu desenvolvimento. Sua proporção não sobrecarrega a função renal, favorece a digestibilidade e promove o crescimento dos bebês” complementa.

A doação de Leite Humano

Segundo o site da Rede Global de Bancos de Leite Humano (rBHL Brasil), algumas mulheres quando estão amamentando produzem uma quantidade de leite além da necessidade do bebê, o que possibilita que sejam doadoras de um Banco de Leite Humano.

A mulher que quiser ser doadora deve preencher alguns pré-requisitos, conforme a legislação que regulamenta o funcionamento dos Bancos de Leite no Brasil  (RDC Nº 171). Além de  apresentar excesso de leite, ela deve ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente.

Preenchendo esses pré-requisitos, a doadora deve realizar um cadastro no Banco de Leite Humano através de uma ligação e recebe instruções iniciais de como realizar a ordenha e sobre cuidados de higiene consigo e com os frascos a serem utilizados na coleta e armazenamento do leite. Em um segundo contato é agendada uma visita à moradia da doadora, as orientações são reforçadas e eventuais dúvidas são esclarecidas. Todo o processo de coleta é realizado na casa da voluntária e a equipe responsável recolhe o material no dia da visita, não sendo necessário que a mesma se desloque até o Banco de Leite Humano.

Amamentação Cruzada

Conforme a rBHL Brasil não é recomendável que a mulher com leite excedente amamente a outro bebê diretamente. Essa é uma prática contraindicada pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a amamentação cruzada, como é conhecida, traz vários riscos ao bebê, podendo transmitir doenças infectocontagiosas, como HIV/Aids.

“A diferença fundamental para a amamentação cruzada é que, no banco de leite humano, o leite doado passará por um processo de seleção e classificação, sendo pasteurizado e, por fim, sofrerá um controle de qualidade microbiológico. Deste modo, garante a isenção de qualquer possibilidade de transmissão de doenças e oferece ao bebê receptor um leite de qualidade certificada e segurança alimentar e nutricional” ressalta o site da rBHL Brasil.             

Para verificar os Bancos de Leite Humano no Paraná clique aqui.

Asimp/CRN-8 | Conselho Regional de Nutricionistas da 8ª Região - Paraná

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios