Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em 19 de maio celebra-se o Dia Mundial da Doação de Leite Humano. Diante disso, é necessário ressaltar a importância do aleitamento materno. O leite humano é uma fonte de nutrientes, suas vantagens passam por questões emocionais, psicológicas, hormonais e de prevenção de doenças da mãe e do bebê.

Segundo a nutricionista Anna Carolina de Almeida (CRN-8 11446), os reflexos do aleitamento materno vão até a vida adulta. "Quando falamos dos componentes nutricionais, entre tantos outros, podemos ressaltar dois pontos importantes: os componentes imunológicos e a quantidade/qualidade da proteína do leite humano” enfatiza Anna.

“Sobre os componentes imunológicos, a importância se reforça com o fato de que nenhuma fórmula infantil industrializada é capaz de oferecer tais substâncias. E são elas que conferem ao bebê a condição de desenvolver seu sistema imune da melhor maneira. Nesse sentido, os reflexos do aleitamento materno vão até a vida adulta.

Importante ressaltar também que a quantidade e qualidade da proteína do leite humano são perfeitamente adequados ao metabolismo dos bebês e ao seu desenvolvimento. Sua proporção não sobrecarrega a função renal, favorece a digestibilidade e promove o crescimento dos bebês” complementa.

A doação de Leite Humano

Segundo o site da Rede Global de Bancos de Leite Humano (rBHL Brasil), algumas mulheres quando estão amamentando produzem uma quantidade de leite além da necessidade do bebê, o que possibilita que sejam doadoras de um Banco de Leite Humano.

A mulher que quiser ser doadora deve preencher alguns pré-requisitos, conforme a legislação que regulamenta o funcionamento dos Bancos de Leite no Brasil  (RDC Nº 171). Além de  apresentar excesso de leite, ela deve ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente.

Preenchendo esses pré-requisitos, a doadora deve realizar um cadastro no Banco de Leite Humano através de uma ligação e recebe instruções iniciais de como realizar a ordenha e sobre cuidados de higiene consigo e com os frascos a serem utilizados na coleta e armazenamento do leite. Em um segundo contato é agendada uma visita à moradia da doadora, as orientações são reforçadas e eventuais dúvidas são esclarecidas. Todo o processo de coleta é realizado na casa da voluntária e a equipe responsável recolhe o material no dia da visita, não sendo necessário que a mesma se desloque até o Banco de Leite Humano.

Amamentação Cruzada

Conforme a rBHL Brasil não é recomendável que a mulher com leite excedente amamente a outro bebê diretamente. Essa é uma prática contraindicada pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a amamentação cruzada, como é conhecida, traz vários riscos ao bebê, podendo transmitir doenças infectocontagiosas, como HIV/Aids.

“A diferença fundamental para a amamentação cruzada é que, no banco de leite humano, o leite doado passará por um processo de seleção e classificação, sendo pasteurizado e, por fim, sofrerá um controle de qualidade microbiológico. Deste modo, garante a isenção de qualquer possibilidade de transmissão de doenças e oferece ao bebê receptor um leite de qualidade certificada e segurança alimentar e nutricional” ressalta o site da rBHL Brasil.             

Para verificar os Bancos de Leite Humano no Paraná clique aqui.

Asimp/CRN-8 | Conselho Regional de Nutricionistas da 8ª Região - Paraná

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.