Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Ontem, 5, Francisco exortou os governantes de todo o mundo a evitarem “a sombra da inimizade”

O Papa Francisco exprimiu sua preocupação com o que está ocorrendo em algumas partes do mundo com a crescente tensão e aumento da escalada da violência. No final da oração mariana do Ângelus deste domingo, 5, o Pontífice recordou que a guerra traz destruição e que é necessário trabalhar para favorecer o diálogo entre as partes.

 “Em tantas partes do mundo se sente um terrível ar de tensão. A guerra traz apenas morte e destruição. Convido todas as partes a manterem acesa a chama do diálogo e do autocontrole e a evitarem a sombra da inimizade. Rezemos em silêncio para que o Senhor nos dê esta graça”, rogou o Santo Padre.

A situação entre os EUA e o Irã

Na última sexta-feira, 3, o assassinato do general iraniano Soleimani, em Bagdá, após ataque autorizado pelo presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Donald Trump, aumentou a tensão existente entre os EUA e o Irã .  No sábado, 4, dezenas de milhares de pessoas participaram na capital iraquiana do cortejo fúnebre do militar, gritando slogans contra os EUA. Mísseis e morteiros foram lançados neste sábado na área verde de Bagdá, onde se encontra a embaixada dos EUA, e contra uma base militar mais ao norte, onde estão destacados soldados estadunidenses, sem causar vítimas.

O presidente dos EUA declarou que no caso de um ataque iraniano, os EUA estão prontos para a ação contra 52 locais importantes para a cultura iraniana, 52 como os reféns estadunidenses sequestrados por Teerã em 1979. No twitter, o ministro iraniano das Relações Exteriores, Zarif, escreveu que “atingir locais culturais seria um crime de guerra”.

Sako: relançar o diálogo

Neste contexto, o Patriarca da Igreja católica caldeia, Louis Raphael Sako, fez um forte apelo: “Os iraquianos ainda estão chocados com o que aconteceu na semana passada. Eles temem que o Iraque se torne um campo de batalha, em vez de ser uma nação soberana capaz de proteger seus cidadãos e suas riquezas. Em circunstâncias tão críticas e tensas, é sábio realizar um encontro em que todas as partes envolvidas se sentem em torno de uma mesa para um diálogo sensato e civilizado que poupará consequências inesperadas para o Iraque. Nós imploramos a Deus Todo-Poderoso, que garanta ao Iraque e à região uma “vida normal, pacífica, estável e segura, à qual aspiramos”.

(Canção Nova)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.