Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Desde que o projeto de peregrinação começou a ocorrer há 17 anos no "Caminho das Missões" está previsto para estabelecer a rota internacional entre a primeira redução jesuítico-guarani (San Ignacio Guazú 1609 - Paraguai) e a última (Santo Anjo 1707 - Brasil).

Depois de dezessete anos de caminhadas e cicloturismo no lado brasileiro entre São Borja e Santo Ângelo, a internacionalização começou ao lado da Argentina, onde duas caminhadas experimentais foram realizadas: em outubro de 2017 e em fevereiro de 2018. O itinerário no lado argentino começa na Redução de Córpus Christi / San Ignácio e atinge a costa brasileira em San Javier / Porto Xavier, onde continua até São Nicolau e depois pelas antigas estradas já experimentadas até Santo Ângelo.

Neste momento, caminhadas experimentais serão realizadas no lado do Paraguai, a partir de San Ignacio Guazú, através do território reducional nos departamentos de Misiones e Itapúa, atingindo a costa com a Argentina em Bela Vista-PY, passando a Córpus Christi-AR, chegando a San Ignácio, onde será encerrado após 13 dias de caminhada.

A importância do que acontecerá entre os dias 20 de agosto e 1º de setembro, no primeiro caminho experimental paraguaio e de 22 de outubro a 3 de novembro na segunda caminhada experimental no Paraguai, é que o conjunto do "Caminho das Missões Internacional" se estabelecerá com o itinerário completo unindo o antigo sonho de interligar a primeira à última redução jesuítico-guarani.

Em uma fase posterior, uma nova etapa será trabalhada em um novo tramo ao Sul da Argentina, começando em Yapeyú e que se juntará ao caminho atual brasileiro em São Borja, produzindo a integração do conjunto dos 30 povos.

Andar a pé ou de bicicleta pelas antigas estradas dos jesuítas e índios guaranis é o que os peregrinos fizeram nas terras vermelhas das Missões nestes últimos dezessete anos. Entre cidades Patrimônio Cultural da Humanidade e Nacionais, sítios arqueológicos, museus, paisagem e cultura do mundo missioneiro, permitindo um verdadeiro mergulho na formação da América Latina.

Contextualizando a História...

Uma das histórias mais emocionantes da humanidade ocorreu nas fronteiras dos atuais Brasil (Missões-Rio Grande do Sul), Argentina (Misiones e Corrientes), Paraguai (Itapuá e Misiones) e Uruguai. Entre os anos de 1609 e 1768, os padres jesuítas e os índios guaranis construíram um novo modelo de convivência para a humanidade.

As Missões foram constituídas pelos jesuítas a partir das utopias de Morus, Bacon e Campanella. Lugon disse que foi a mais original das sociedades realizadas. Charlevoix e Muratori a reconheceram como um modelo sem precedentes da sociedade cristã.

A revista Lés Lettres Edificantes et Curieuses, dirigida pelos jesuítas na Europa, comparava os guaranis aos primeiros cristãos e descreve suas comunidades como "a realização ideal do cristianismo". Voltaire afirmou que o projeto jesuíta-guarani foi um "triunfo da humanidade".

Montesquieu chamou de "primeiro estado industrial da América". Pablo Hernández na Organização Social das Doutrinas Guarani, escreve que o maravilhoso surge a cada passo. O filósofo Rayal escreveu: as leis foram observadas, uma civilidade exata reinou, os costumes eram puros, uma fraternidade feliz unia os corações, todas as artes da necessidade foram aperfeiçoadas. A abundância era universal. "O mundo novo que estamos procurando realizar não pode menosprezar a lição fornecida." Rafael Carbonell de Masy, diz que é hora de resgatar a verdade sobre a origem da primeira cooperativa do mundo, nascida em 1627, nas Reduções Jesuítico-Guarani.

Neste momento está se lançando a internacionalização do 'Caminho das Missões', um sonho desde 2002 que vinha sendo realizado do lado brasileiro com 14 dias que parte de São Borja, 8 dias de São Nicolau e 3 dias de São Miguel das Missões, sempre chegando a Santo Ângelo. Muito mais do que um passeio turístico, o Caminho das Missões é um itinerário interativo onde a superação de desafios pessoais proporciona uma experiência inigualável de liberdade e autoconhecimento.

Estamos reunidos para fazer história. Que San Inácio de Loyola, Santos Roque Gonzáles, Afonso Rodrigues, João de Castilhos, entre tantos outros Jesuítas e Guaranis e o eterno Corregedor Sepé Tiarajú nos protejam em nossa busca pela TERRA SEM MALES.

Asimp/Caminho das Missões - www.caminhodasmissoes.com.br

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.