Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Desde que o projeto de peregrinação começou a ocorrer há 17 anos no "Caminho das Missões" está previsto para estabelecer a rota internacional entre a primeira redução jesuítico-guarani (San Ignacio Guazú 1609 - Paraguai) e a última (Santo Anjo 1707 - Brasil).

Depois de dezessete anos de caminhadas e cicloturismo no lado brasileiro entre São Borja e Santo Ângelo, a internacionalização começou ao lado da Argentina, onde duas caminhadas experimentais foram realizadas: em outubro de 2017 e em fevereiro de 2018. O itinerário no lado argentino começa na Redução de Córpus Christi / San Ignácio e atinge a costa brasileira em San Javier / Porto Xavier, onde continua até São Nicolau e depois pelas antigas estradas já experimentadas até Santo Ângelo.

Neste momento, caminhadas experimentais serão realizadas no lado do Paraguai, a partir de San Ignacio Guazú, através do território reducional nos departamentos de Misiones e Itapúa, atingindo a costa com a Argentina em Bela Vista-PY, passando a Córpus Christi-AR, chegando a San Ignácio, onde será encerrado após 13 dias de caminhada.

A importância do que acontecerá entre os dias 20 de agosto e 1º de setembro, no primeiro caminho experimental paraguaio e de 22 de outubro a 3 de novembro na segunda caminhada experimental no Paraguai, é que o conjunto do "Caminho das Missões Internacional" se estabelecerá com o itinerário completo unindo o antigo sonho de interligar a primeira à última redução jesuítico-guarani.

Em uma fase posterior, uma nova etapa será trabalhada em um novo tramo ao Sul da Argentina, começando em Yapeyú e que se juntará ao caminho atual brasileiro em São Borja, produzindo a integração do conjunto dos 30 povos.

Andar a pé ou de bicicleta pelas antigas estradas dos jesuítas e índios guaranis é o que os peregrinos fizeram nas terras vermelhas das Missões nestes últimos dezessete anos. Entre cidades Patrimônio Cultural da Humanidade e Nacionais, sítios arqueológicos, museus, paisagem e cultura do mundo missioneiro, permitindo um verdadeiro mergulho na formação da América Latina.

Contextualizando a História...

Uma das histórias mais emocionantes da humanidade ocorreu nas fronteiras dos atuais Brasil (Missões-Rio Grande do Sul), Argentina (Misiones e Corrientes), Paraguai (Itapuá e Misiones) e Uruguai. Entre os anos de 1609 e 1768, os padres jesuítas e os índios guaranis construíram um novo modelo de convivência para a humanidade.

As Missões foram constituídas pelos jesuítas a partir das utopias de Morus, Bacon e Campanella. Lugon disse que foi a mais original das sociedades realizadas. Charlevoix e Muratori a reconheceram como um modelo sem precedentes da sociedade cristã.

A revista Lés Lettres Edificantes et Curieuses, dirigida pelos jesuítas na Europa, comparava os guaranis aos primeiros cristãos e descreve suas comunidades como "a realização ideal do cristianismo". Voltaire afirmou que o projeto jesuíta-guarani foi um "triunfo da humanidade".

Montesquieu chamou de "primeiro estado industrial da América". Pablo Hernández na Organização Social das Doutrinas Guarani, escreve que o maravilhoso surge a cada passo. O filósofo Rayal escreveu: as leis foram observadas, uma civilidade exata reinou, os costumes eram puros, uma fraternidade feliz unia os corações, todas as artes da necessidade foram aperfeiçoadas. A abundância era universal. "O mundo novo que estamos procurando realizar não pode menosprezar a lição fornecida." Rafael Carbonell de Masy, diz que é hora de resgatar a verdade sobre a origem da primeira cooperativa do mundo, nascida em 1627, nas Reduções Jesuítico-Guarani.

Neste momento está se lançando a internacionalização do 'Caminho das Missões', um sonho desde 2002 que vinha sendo realizado do lado brasileiro com 14 dias que parte de São Borja, 8 dias de São Nicolau e 3 dias de São Miguel das Missões, sempre chegando a Santo Ângelo. Muito mais do que um passeio turístico, o Caminho das Missões é um itinerário interativo onde a superação de desafios pessoais proporciona uma experiência inigualável de liberdade e autoconhecimento.

Estamos reunidos para fazer história. Que San Inácio de Loyola, Santos Roque Gonzáles, Afonso Rodrigues, João de Castilhos, entre tantos outros Jesuítas e Guaranis e o eterno Corregedor Sepé Tiarajú nos protejam em nossa busca pela TERRA SEM MALES.

Asimp/Caminho das Missões - www.caminhodasmissoes.com.br

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios