Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em tempos de plantão reduzido de atendimento nas Agências da Previdência Social - INSS, ou de agências completamente fechadas e sem atendimento ao público, devido à pandemia do coronavírus (covid19), a Portaria Conjunta nº 9381, autorizada pela Lei nº 13.982/2020, disciplinou a antecipação de um salário mínimo, com duração máxima de 3 (três) meses, para os segurados que, ao requererem o auxílio-doença, cumpram alguns requisitos, quais sejam:

1) Carência mínima de 12 contribuições mensais;

2) Apresentação de atestado médico sem rasuras e legível, com a assinatura do profissional emitente, carimbo e número do registro no conselho de classe;

3) O atestado deve conter a descrição e informações sobre a doença e  CID, bem como, o tempo estimado de repouso ou recuperação.

Com todos os documentos médicos e pessoais em mãos (RG, CPF, CNH, certidão de casamento ou nascimento, comprovante de endereço atual, Carteira de Trabalho, guias de pagamento da previdência social - GPS, etc) o segurado deve proceder o cadastro no site do INSS (portal MEU INSS) ou baixar o app MEU INSS no celular. Após concluído o cadastro o segurado deve fazer o requerimento do auxílio-doença on-line juntando todos os documentos acima mencionados de forma digitalizada. Para saber mais sobre como acessar o portal MEU INSS acesse aqui o artigo que escrevi sobre isso: https://www.brandaocanella.adv.br/com-as-agencias-do-inss-fechadas-saiba-como-acessar-o-portal-meu-inss-e-ter-acesso-aos-servicos-online/

A concessão da antecipação se dará sem a realização de perícia médica presencial, e pode ser concedida de 1 até 3 meses, e seu valor, independentemente da média de contribuições do segurado, será de 1 (um) salário mínimo mensal. Caso o auxílio seja concedido por período inferior ao necessário para a recuperação do segurado, o mesmo deverá ingressar com novo pedido administrativo, sendo vedado pelo sistema on-line do INSS, o requerimento de prorrogação do benefício (dado mencionado por prática e tentativas reiteradas, ou seja, por amostragem). Mesmo assim, essa antecipação, pode ser prorrogada automaticamente pelo órgão previdenciário (INSS).

O Comunicado de decisão ficará disponível no processo administrativo on-line logo após a análise preliminar dos documentos juntados feita pela Subsecretaria de Perícia Médica Federal da Secretaria de Previdência e do Instituto Nacional do Seguro Social. Assim, o segurado deverá acessar o app ou o portal (MEU INSS) e acompanhar o andamento do processo administrativo, conferindo a expedição da carta de concessão do benefício ou de indeferimento. Caso tenha feito o cadastro e fornecido o número do telefone celular, na maioria das vezes, o INSS atualiza o andamento do requerimento por meio de mensagens.

Caso o INSS negue administrativamente o pedido de auxílio-doença ou a antecipação,  mesmo como a apresentação de toda documentação necessária e com a doença  incapacitante comprovada por documentos médicos, o segurado doente deve procurar um profissional especializado em Direto Previdenciário, para a análise do caso concreto, e interposição de ação judicial.

Renata Brandão Canella, Advogada - Londrina - Pr

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.