Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Natal em Família: primeira semana do Advento

No próximo domingo iniciamos o tempo do Advento. Todos comentamos que o tempo está passando rápido demais. Mas pode ser que nós temos feito coisas demais a ponto de não saborear cada momento de nossa vida. Fato é que, de repente, nos assustamos ao ver que o Natal novamente se aproxima. Enquanto o comércio só pensa em “terminar bem o ano” batendo recordes de vendas, nós temos a oportunidade de “começar bem o ano”, acolhendo Jesus em nosso meio. É por isso o ano litúrgico começa com o Advento, para que nos preparemos bem para acolhê-lo.

Um Natal nunca pode ser igual aos outros, pois o menino Jesus sempre tem algo muito novo, uma renovação interior, para trazer ao nosso coração.

O tema – Como se preparar em família para o Natal – provocou em mim uma boa reflexão, me fazendo pensar em nossa prática familiar nos anos anteriores e como poderíamos aprofundá-la neste ano. A Igreja nos insere no contexto do Advento com as leituras onde se destacam o apelo de João Batista, as profecias de Isaías e o grande sim de Maria, mas também com a cor utilizada nas celebrações, as músicas e a vivência da modéstia e silêncio, reservando para o dia de Natal nossa expressão de alegria. Mas como levar esta preparação para dentro de nossas casas?

Reconheço que não é muito fácil viver o Advento fora da igreja, pois a época do ano nos oferece “pratos cheios” para desviar nossa atenção, principalmente das famílias com filhos em idade escolar. O encerramento do ano letivo, estudos de recuperação, vestibulares, formaturas. Mas temos também as intermináveis compras de presentes de lembrancinhas de Natal e, em nosso país, os preparativos para as férias que acontecem em Janeiro.

Com o avanço do Advento e quanto mais se aproxima o Natal, mais profunda deveria ser a nossa reflexão e maior o tempo dedicado à preparação. Mas tem acontecido justamente o contrário. O Natal vai chegando e nossa correria vai aumentando. Esquecemos esse e aquele presentinho! E as dezenas de amigos ocultos? (nem sabíamos que tínhamos tantos amigos!) Já ia me esquecendo da ceia, da comilança, da bebida. A roupa? Não posso ir com a mesma roupa que fui no ano passado… Parece que estamos correndo para desarmar uma bomba relógio. E onde entra o Advento e Natal no meio dessa correria?

Caro amigo leitor, já faz algum tempo que esse ritmo popular de “tempo de Natal” muito me incomoda. Não aguento andar pelas ruas do centro, lotadas e com a Simone cantando “Então é Natal, a festa cristã…”, onde de cristão não tem nada, pois não passa de armação para nos sentirmos bem e comprarmos mais e mais.

Há alguns anos decidimos viver o Natal de forma diferente e quero partilhar isso com você. São coisas simples, porém desafiadoras, que temos feito contra a “correnteza” para viver melhor o Natal como novena com as crianças, a questão dos presentes, comemorações e amigos ocultos, tempo para os sacramentos (especialmente a confissão), as reuniões de família no dia 24 e 25, a vigília e dia do Natal etc. Como você vive estas questões em sua família? Estas atitudes, para minha família, são também respostas para a vigilância que nos é proposta no primeiro domingo do Advento: “Vigiai, portanto, porque não sabeis quando o dono da casa vem: à tarde, à meia-noite, de madrugada ou ao amanhecer” (Mc 13,35).

André Parreira

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br Twitter: @pfelipeaquino

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.