Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Fonte: Unsplash 

Hoje em dia, há uma palavra que está ganhando cada vez mais notoriedade dentro do mundo da tecnologia biológica: biohacking. Esta é uma atividade que vai tanto de invasiva como mais superficial, mas que em resumo consiste em mudanças internas e externas para potencializar a capacidade cognitiva humana. 

Um dos nomes mais famosos e que se autodenomina pai do biohacking é Dave Asprey, o criador do café à prova de bala e o qual usa gorduras (como manteiga ghee e óleo de coco) para teoricamente deixar o corpo com mais energia e mais ativo. Pessoas que tomam este café afirmam que ele modificou as suas vidas. É a opinião por exemplo de Gabriela Pugliese e Camila Coutinho, duas blogueiras famosas que aderiram à bebida.  

Outra atividade que potencializaria o organismo é o jejum intermitente. Esta é com certeza a mais controversa, mas é basicamente ficar por um período de determinadas horas sem comer, de forma a dar tempo ao organismo se recuperar, mas podendo beber líquidos de poucas calorias. Vale lembrar que ao dormir estamos fazendo uma forma de jejum. O guru que popularizou esta técnica oriental praticada na Índia foi Michael Mosley, que tem vários livros sobre o assunto. Esta prática deve ser feita com cautela, e se tiver interesse é melhor se aprofundar através da leitura de livros e buscar por um nutricionista de qualidade para auxiliá-lo(a). 

Mais uma dica é a meditação, a qual pode ser tanto guiada como não, e para isso há vários aplicativos, tal como o Calm. A meditação é considerada uma forma de aliviar o estresse e de limpar a mente, o que aumenta o potencial de utilização do cérebro, o qual poderá estar mais focado ao que realmente é importante.

Além disso, há os jogos que estimulam a mente, dentro dos quais o pôquer é considerado um bom exemplo, trazendo como benefícios o pensamento estratégico e lógico, e hoje em dia podendo ser acessados em sites onlines como a Betfair. Por fim, para treinar a mente, junto com a meditação e a prática de jogos, aprender uma nova língua, ter um hobbie e testar a memória ajudam também na maximização das atividades cerebrais. 

Fonte: Unsplash 

Além disso é bom investir numa boa qualidade do sono, e para isso há várias técnicas, entre elas: utilizar um despertador que imita a luz do sol, evitar ao máximo apertar o botão soneca, ir se deitar e acordar no mesmo horário todos os dias, dormir entre 5 a 8 horas por noite (nem mais e nem menos), evitar utilizar a luz artificial dos eletrônicos pelo menos duas horas antes de ir dormir, evitar beber bebidas estimulantes e tomar bebidas calmantes, e procurar dormir num quarto bem escuro e com temperatura agradável - nem muito quente e nem muito frio. 

Há quem recomende também o uso de suplementos como os adaptogênicos, que ajudariam a estimular ou a relaxar o cérebro de forma a potencializar sua performance. Os cogumelos são apontados como as melhores opções graças aos seus efeitos benéficos, e entre os principais estão: Chaga, Reishi, Cordyceps, Lions Mane, Maitake e Shiitake. 

Essas são algumas fórmulas que você pode aplicar no seu dia a dia para potencializar o uso do seu cérebro ao máximo. Lembre-se que essas atividades são hábitos que não precisam ser diários, mas sim frequentes, e que é você que define essa frequência, mas é importante que sejam praticados pelo menos a cada 3 dias.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios