Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Um projeto de lei (PL 3411/2020) apresentado pelos senadores Mara Gabrilli (PSDB/SP) e Flávio Arns (REDE/PR) prevê a inclusão de informações sobre a condição de pessoa com deficiência na notificação compulsória de casos de covid-19.

Os autores da proposta destacam que a coleta desse tipo de informação é fundamental para o planejamento das ações de enfrentamento da covid-19 e para a realização de pesquisas a fim de aprofundar questões que atingem determinados segmentos populacionais de forma particular no contexto da pandemia.

Além da informação sobre a condição de pessoa com deficiência, a proposta prevê também que o quesito raça/cor seja informado na notificação compulsória. Essa informação já é obrigatória por conta de uma portaria (Portaria 344/2017) do Ministério da Saúde e, nesse caso, a ideia é apenas transforma essa obrigatoriedade em lei.

Segundo a senadora Mara Gabrilli, a informação sobre condição de pessoa com deficiência atinge um público mais suscetível à infecção pelo novo coronavírus, que sofre, também, com a falta de informação acessível e orientação.

“Esse segmento, mais uma vez, foi esquecido pelo poder público, agora com o agravante de acontecer em meio a uma pandemia que tira cada vez mais vidas. Justamente esse grupo de pessoas que tem pelo menos 3 vezes mais chances de se infectar”, afirma Mara Gabrilli.

Já o senador Flávio Arns destaca a importância da coleta de dados para a elaboração de diretrizes para o atendimento desse público durante a pandemia. "São pessoas que estão no grupo de risco da Covid-19 e extremamente vulneráveis à doença. Nosso objetivo com o projeto é garantir a coleta dessas informações para que as autoridades públicas e sanitárias possam dimensionar o alcance da pandemia entre as pessoas com deficiência e, desta forma, planejar medidas voltadas para suas necessidades", afirma.

Flávio Arns e Mara Gabrilli foram relatores da Lei Brasileira de Inclusão (Lei nº 13.146/2015), também conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência. Entre as diversas novidades trazidas pela LBI no ordenamento jurídico brasileiro, está a criação do Cadastro-Inclusão, registro público eletrônico que visa agregar informações sobre as características gerais e as condições de vida das pessoas com deficiência, para fundamentar a formulação de políticas públicas destinadas a esse segmento.

Segundo os senadores, além de subsidiar e​ orientar o planejamento de políticas públicas que levem em conta as necessidades específicas desses segmentos populacionais frente à atual pandemia, a proposta visa tomar medidas para promover mais igualdade, especialmente no que tange à proteção social.

O projeto deve ser votado pelo plenário do Senado Federal e, após aprovado, passar pela Câmara dos Deputados, antes de seguir para a sanção presidencial.​

Greicy Pessoa/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.