Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Geral 14/09/2017  08h50

Cooperativa de catadores comemora 8º aniversário com café da manhã especial

Evento contou com a presença do presidente da CMTU, Moacir Sgarioni, que ressaltou a importância da entidade para o sistema de coleta seletiva de Londrina

Na manhã de ontem (13), a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) participou de um café da manhã em comemoração aos 8 anos de atividade da Cooper Região. O evento ocorreu no entreposto de reciclagem da Vila Marízia, região central de Londrina, e contou com a presença do presidente da companhia, Moacir Sgarioni, dos catadores cooperados e de parceiros da entidade.

A programação incluiu um bate-papo sobre a história da cooperativa e os desafios para os próximos anos. Além disso, teve palestras sobre economia solidária, movimentos sociais e a Central de Valorização de Materiais Recicláveis (CVMR), que desde junho opera o beneficiamento de plástico, papelão, papel e garrafas pet para agregar valor aos materiais. O café da manhã envolveu ainda a homenagem a uma moradora que há anos contribui com a separação dos itens recicláveis. Ela foi presenteada por uma catadora como agradecimento simbólico à população londrinense - parte fundamental no sistema.

Na oportunidade, Sgarioni parabenizou a Cooper Região pelo exemplo de organização e ressaltou o importante trabalho realizado pelos cooperados. “Como gerenciador da coleta seletiva na cidade, para o poder público é maravilhoso acompanhar o crescimento social e profissional dos trabalhadores da reciclagem. Além da contribuição com o meio ambiente, o trabalho deles gera renda e cidadania para pessoas que, muitas vezes, têm dificuldade de acesso ao mercado de trabalho”, destacou.

O presidente da CMTU frisou que, dentro da política da companhia de valorização dos catadores, a atual gestão elevou o valor repassado às cooperativas pelo atendimento aos domicílios. Em fevereiro, o montante subiu de R$ 1 para R$ 1,39. “Nossa medida resgatou em 50% o corte feito pelo antigo governo, que havia reduzido o repasse de R$ 1,78 para R$ 1. Isso contribuiu para o aumento na renda das associações”, afirmou.

Eliene Moraes, analista ambiental da companhia que também acompanhou o evento, elogiou o empenho da organização em, desde 2009, buscar por conta própria o aprimoramento da produção e a qualificação profissional dos cooperados. “A Cooper Região diversas vezes buscou a CMTU para solicitar capacitações. Já demos treinamentos sobre segurança do trabalho, cooperativismo, direitos, deveres e gestão da coleta seletiva no contrato com o Município, entre outras qualificações”, frisou.

Segundo a analista, a companhia está aberta para auxiliar as demais cooperativas no desenvolvimento dos seus quadros. “Gostaríamos que todas as outras alcançassem o mesmo patamar de organização e evolução. Estamos à disposição para ajudar nesse processo com o intuito de fomentar a autonomia dessas associações, para que elas não dependam apenas do poder público para se manter”, ressaltou.

Para o presidente da Cooper Região, Zaqueo Vieira, é com muito orgulho e satisfação que a entidade chega ao seu 8º aniversário. “Na época de formação, muitos disseram que não duraríamos 2 anos. No entanto, com trabalho, empenho, apoio do poder público e participação dos moradores, a cooperativa se fortaleceu e é destaque nacional e internacional”, salientou.

Ele elogiou o contrato com a CMTU, vigente desde março de 2010. “Essa parceria nos dá suporte, nos ajuda a arcar com as despesas e o funcionamento da cooperativa”. Além do aluguel dos barracões e do pagamento do INSS dos trabalhadores, a companhia repassa à Cooper Região R$1,39 por cada uma das 84 mil residências atendidas por ela.

Histórico - Atualmente, a entidade possui cerca de 160 cooperados com renda mensal em torno de R$ 1.040,00. A cooperativa conta com 3 centrais de triagem e 7 caminhões próprios, adquiridos por meio de inscrições em editais de concursos.

O sistema de coleta seletiva de Londrina atende 100% da área urbana, dos distritos e patrimônios rurais e envolve o trabalho direto de 340 catadores.  Em toda a cidade são 18 entrepostos de triagem, responsáveis pela separação e comercialização de aproximadamente 750 toneladas de recicláveis por mês.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.