Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Na estação com maiores ocorrências registradas em virtude das fortes chuvas, Defesa Civil afirma que principal postura deve ser a da autoproteção

Deslizamentos de solos, inundações, enxurradas, tempestades com raios e vendavais são as causas das principais ocorrências registradas pela Defesa Civil no verão. Nesta estação mais chuvosa, o 1º Tenente da Polícia Militar e diretor de comunicação social da Defesa Civil do Estado de São Paulo, Felipe Carmelo Torres Zoupa, afirma que a principal postura pedida à população é a de autoproteção.

Para casos específicos, tenente Zoupa afirma que a Defesa Civil já conta com orientações que incentivam homens e mulheres à ações de autoproteção. Rachaduras, deslizamento, chuva nas estradas, enxurradas em via pública, tempestades com risco de raios e o mau tempo em praias, rios e represas são algumas das situações para as quais a Defesa Civil apresenta recomendações.

Nos casos de aparecimento de fendas e rachaduras nas paredes ou de qualquer sinal de deslizamento, a população é instruída a abandonar o local imediatamente e procurar abrigo fora da área de risco. Outra dica dada pela Defesa Civil é quanto à travessia em vias com água ou lama de deslizamento fluindo. “Nunca atravesse”, alerta o diretor de comunicação.

Veja: .: Dicas para a hora das chuvas  (https://noticias.cancaonova.com/brasil/veja-dicas-para-hora-das-chuvas/)

 “Nunca enfrente enxurradas ou atravesse vias alagadas, pois águas de inundação são pesadas e violentas. Mesmo que você saiba nadar, não se arrisque em travessias ou brincadeiras. Apenas 15cm de água em movimento podem derrubá-lo, e 30cm de água em movimento são suficientes para arrastar o veículo”, comentou tenente Zoupa.

Para quem vai viajar nas férias, a recomendação é, mediante chuva muito intensa na estrada, procurar um local coberto e seguro e aguardar a melhora do tempo. “Ao dirigir sob chuva, evite passar e estacionar perto de cabos elétricos, torres de transmissão, outdoors, andaimes, escadas e outras estruturas que não pareçam seguras”.

Tenente Zoupa acrescentou: “Em tempestades há geralmente o risco de raios, se estiver em qualquer área aberta, como praia, piscina, estacionamento e campo de futebol, saia imediatamente; mantenha distância de objetos altos e isolados ou metálicos, como árvores, guarda-sol; não solte pipas e não carregue objetos como canos e varas”.

Durante o verão, em praias, rios e represas, a Defesa Civil pede que a população se informe sobre a profundidade e o melhor local para banho, mantendo as crianças por perto e estabelecendo regras rígidas de segurança. Em embarcações, a dica é usar sempre colete salva-vidas; evitar nadar sozinho, em locais isolados e durante a noite, bem como após ingerir bebidas alcoólicas.

Sistema de Alerta da Defesa Civil

Sistema de alerta da Defesa Civil fornece informações meteorológicas a qualquer cidadão residente no Estado de São Paulo/ Foto: Governo do Estado de São Paulo

Com o objetivo de alertar homens e mulheres para situações de risco e estimular o princípio da autoproteção, a Defesa Civil Estadual conta, desde 2017, com um sistema de alerta de serviço de texto que fornece informações meteorológicas a qualquer cidadão residente no Estado de São Paulo. O cadastro é gratuito e o usuário passa a receber os alertas direto no celular.

“São alertas meteorológicos curtos, com até 160 caracteres, e visam informar, de forma preventiva, a população sobre um possível risco de desastre natural. Para receber as notificações da Defesa Civil Estadual, basta enviar um SMS para o número 40199 com o CEP de interesse. O serviço opera por meio de informações meteorológicas destinadas para os 645 municípios do estado”, explicou tenente Zoupa.

Antes da implementação desta ferramenta, os alertas de texto eram enviados apenas a um grupo de pessoas, entre gestores municipais e integrantes da rede estadual de proteção da defesa civil, explica o diretor de comunicação do órgão. “Com a adoção do novo sistema, a comunicação das situações de risco é mais rápida e direta, podendo evitar que eventos meteorológicos se transformem em acidentes com pessoas”, complementa.

Nestes dois anos de atividade, o serviço contabilizou, até 20 de dezembro de 2019, 2.403.839 terminais cadastrados e emitiu 10.380 SMS desde a criação do serviço (de 16 de novembro de 2017 a 09 de janeiro de 2020).

Outras formas de prevenção

Em dezembro passado, a Defesa Civil lançou a campanha “SPAlerta” para reforçar a importância da adoção de postura de autoproteção por parte da população. Por meio do site da iniciativa – www.spalerta.sp.gov.br – qualquer cidadão pode ter acesso a uma campanha perene, com dicas do que fazer antes, durante e após os principais eventos adversos, com o propósito de preservar vidas e reduzir danos humanos, ambientais e materiais, explicou tenente Zoupa.

Além do “SPAleta”, o diretor de comunicação da Defesa Civil revela que, desde o mês de outubro de 2019, a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civi (Cepdec) emite aos clientes de TV por assinatura avisos de desastres naturais – como mudanças abruptas de temperatura, alagamentos, enxurradas, deslizamentos de terra, inundações, vendavais e chuvas de granizo –, transmitidos durante as programações por meio de pop-up (mensagem sobreposta à tela) e abrangendo todo o estado de São Paulo.

Estes recursos, de acordo com tenente Zoupa, aumentam a divulgação de orientações de prevenção à população.

/Imagem: Governo do Estado de São Paulo

Julia Beck/Canção Nova

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios