Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Na estação com maiores ocorrências registradas em virtude das fortes chuvas, Defesa Civil afirma que principal postura deve ser a da autoproteção

Deslizamentos de solos, inundações, enxurradas, tempestades com raios e vendavais são as causas das principais ocorrências registradas pela Defesa Civil no verão. Nesta estação mais chuvosa, o 1º Tenente da Polícia Militar e diretor de comunicação social da Defesa Civil do Estado de São Paulo, Felipe Carmelo Torres Zoupa, afirma que a principal postura pedida à população é a de autoproteção.

Para casos específicos, tenente Zoupa afirma que a Defesa Civil já conta com orientações que incentivam homens e mulheres à ações de autoproteção. Rachaduras, deslizamento, chuva nas estradas, enxurradas em via pública, tempestades com risco de raios e o mau tempo em praias, rios e represas são algumas das situações para as quais a Defesa Civil apresenta recomendações.

Nos casos de aparecimento de fendas e rachaduras nas paredes ou de qualquer sinal de deslizamento, a população é instruída a abandonar o local imediatamente e procurar abrigo fora da área de risco. Outra dica dada pela Defesa Civil é quanto à travessia em vias com água ou lama de deslizamento fluindo. “Nunca atravesse”, alerta o diretor de comunicação.

Veja: .: Dicas para a hora das chuvas  (https://noticias.cancaonova.com/brasil/veja-dicas-para-hora-das-chuvas/)

 “Nunca enfrente enxurradas ou atravesse vias alagadas, pois águas de inundação são pesadas e violentas. Mesmo que você saiba nadar, não se arrisque em travessias ou brincadeiras. Apenas 15cm de água em movimento podem derrubá-lo, e 30cm de água em movimento são suficientes para arrastar o veículo”, comentou tenente Zoupa.

Para quem vai viajar nas férias, a recomendação é, mediante chuva muito intensa na estrada, procurar um local coberto e seguro e aguardar a melhora do tempo. “Ao dirigir sob chuva, evite passar e estacionar perto de cabos elétricos, torres de transmissão, outdoors, andaimes, escadas e outras estruturas que não pareçam seguras”.

Tenente Zoupa acrescentou: “Em tempestades há geralmente o risco de raios, se estiver em qualquer área aberta, como praia, piscina, estacionamento e campo de futebol, saia imediatamente; mantenha distância de objetos altos e isolados ou metálicos, como árvores, guarda-sol; não solte pipas e não carregue objetos como canos e varas”.

Durante o verão, em praias, rios e represas, a Defesa Civil pede que a população se informe sobre a profundidade e o melhor local para banho, mantendo as crianças por perto e estabelecendo regras rígidas de segurança. Em embarcações, a dica é usar sempre colete salva-vidas; evitar nadar sozinho, em locais isolados e durante a noite, bem como após ingerir bebidas alcoólicas.

Sistema de Alerta da Defesa Civil

Sistema de alerta da Defesa Civil fornece informações meteorológicas a qualquer cidadão residente no Estado de São Paulo/ Foto: Governo do Estado de São Paulo

Com o objetivo de alertar homens e mulheres para situações de risco e estimular o princípio da autoproteção, a Defesa Civil Estadual conta, desde 2017, com um sistema de alerta de serviço de texto que fornece informações meteorológicas a qualquer cidadão residente no Estado de São Paulo. O cadastro é gratuito e o usuário passa a receber os alertas direto no celular.

“São alertas meteorológicos curtos, com até 160 caracteres, e visam informar, de forma preventiva, a população sobre um possível risco de desastre natural. Para receber as notificações da Defesa Civil Estadual, basta enviar um SMS para o número 40199 com o CEP de interesse. O serviço opera por meio de informações meteorológicas destinadas para os 645 municípios do estado”, explicou tenente Zoupa.

Antes da implementação desta ferramenta, os alertas de texto eram enviados apenas a um grupo de pessoas, entre gestores municipais e integrantes da rede estadual de proteção da defesa civil, explica o diretor de comunicação do órgão. “Com a adoção do novo sistema, a comunicação das situações de risco é mais rápida e direta, podendo evitar que eventos meteorológicos se transformem em acidentes com pessoas”, complementa.

Nestes dois anos de atividade, o serviço contabilizou, até 20 de dezembro de 2019, 2.403.839 terminais cadastrados e emitiu 10.380 SMS desde a criação do serviço (de 16 de novembro de 2017 a 09 de janeiro de 2020).

Outras formas de prevenção

Em dezembro passado, a Defesa Civil lançou a campanha “SPAlerta” para reforçar a importância da adoção de postura de autoproteção por parte da população. Por meio do site da iniciativa – www.spalerta.sp.gov.br – qualquer cidadão pode ter acesso a uma campanha perene, com dicas do que fazer antes, durante e após os principais eventos adversos, com o propósito de preservar vidas e reduzir danos humanos, ambientais e materiais, explicou tenente Zoupa.

Além do “SPAleta”, o diretor de comunicação da Defesa Civil revela que, desde o mês de outubro de 2019, a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civi (Cepdec) emite aos clientes de TV por assinatura avisos de desastres naturais – como mudanças abruptas de temperatura, alagamentos, enxurradas, deslizamentos de terra, inundações, vendavais e chuvas de granizo –, transmitidos durante as programações por meio de pop-up (mensagem sobreposta à tela) e abrangendo todo o estado de São Paulo.

Estes recursos, de acordo com tenente Zoupa, aumentam a divulgação de orientações de prevenção à população.

/Imagem: Governo do Estado de São Paulo

Julia Beck/Canção Nova

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.