Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Com ele, a criança prematura tem mais chances de recuperação, se desenvolve com saúde e fica protegida de infecções, diarreias e alergias.

Doar leite materno pode salvar vidas. Até os seis meses de vida do bebê, ele é capaz de suprir todas as necessidades nutricionais da criança, sem ter necessidade de oferecer chás, sucos, outros leites ou qualquer outro tipo de alimento.  Ele nutre, hidrata e melhora a saúde. O alimento é importante para todos os recém-nascidos, principalmente para os prematuros e/ou de baixo peso que estão internados nas Unidades Neonatais e não podem ser amamentados pela própria mãe.

Um pote de leite materno doado pode alimentar uma média de 10 bebês por dia. A depender do peso e condições clínicas da criança, um mililitro é o suficiente para suprir a demanda de um horário de “mamada”. Com o leite materno, o bebê prematuro e/ou de baixo peso tem mais chances de recuperação, se desenvolve com saúde e fica protegido de infecções, diarreias e alergias.

Segundo o Ministério da Saúde, todos os anos, aproximadamente 150 mil litros de leite materno humano são coletados, processados e distribuídos aos recém-nascidos prematuros e/ou de baixo peso que estão internados em unidades neonatais de todo o país.

A filha da servidora pública Ingrid Fassanaro, Alice, nasceu prematura em fevereiro deste ano. Durante 17 dias, enquanto estava na Unidade Neonatal, a bebê precisou ser amamentada pelo Banco de Leite Humano da Maternidade Nossa Senhora de Nazaré, em Boa Vista, Roraima.

Com dificuldades na produção de seu leite após o nascimento da filha, Ingrid conta sobre a importância da doação de leite materno por outras mães na recuperação de Alice.

“No início, com a minha filha internada, a minha produção (de leite) não estava boa, recorri ao Banco de Leite Humano e o leite materno doado por outras mães foi ofertado para Alice. Se não fosse isso, a minha filha não ia se alimentar da forma mais adequada. Mesmo que você não consiga tirar o leite suficiente, você pensa: minha filha vai ser alimentada. Isso tranquiliza o coração de uma mãe", diz Alice.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem a maior e mais complexa Rede de Bancos de Leite Humano (rBLH) do mundo.

Criado em 1998 pelo Ministério da Saúde e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a rede conta atualmente com mais de 223 Bancos de Leite Humano espalhados por todos os estados do Brasil.

A coordenadora de saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, Janini Selva Ginani, explica que os benefícios do leite materno perduram durante a vida toda do bebê.

“O bebê que recebe o leite materno desenvolve menos complicações durante o período de internação e quando maiores apresentam menor risco de desenvolver doenças crônicas, como diabetes, obesidade e pressão alta, e também apresentam melhor desenvolvimento da sua inteligência e das suas capacidades", destaca Janini Selva Ginani

Se você está amamentando e pode doar, seja uma doadora e ajude a salvar uma vida. “Doe leite materno. Nessa corrente pela vida, cada gota faz a diferença”. Para mais informações, ligue 136 ou acesse o site saude.gov.br/doacaodeleite.

Thiago Marcolini/Agência do Rádio

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.