Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O coordenador do Núcleo Regional da Casa Civil de Londrina Marco Antônio Santi, concedeu entrevista exclusiva ao Jornal União. Ele explicou as principais ações do Núcleo, e as obras que estão em andamento na região de Londrina.

“No Jardim Botânico funciona o Núcleo Regional da Casa Civil, um órgão do governo do estado criado no final do ano passado. O Núcleo é vinculado diretamente à secretaria da casa civil e ao gabinete do governador, e articula as ações com as prefeituras da região e as entidades civis (Lions, Rotary, Associações Comerciais e etc.)”, explicou Marco.

Marco explica que um dos principais pontos do Núcleo, é fazer com que as prefeituras não percam os prazos de seus recursos, para que as mesmas consigam entregar os projetos em dia. “Atendemos aqui 21 municípios da região, e levamos até os prefeitos os projetos que estão em andamento para que não se percam os prazos e principalmente não se percam os recursos. Sabemos das dificuldades que as prefeituras estão enfrentando com falta de recursos, então ajudamos os prefeitos para que não percam esses recursos e que os projetos cheguem até o destinatário final que é a população”, conta.

O Núcleo Regional também atua como prestador de serviço, explicando para a sociedade os planos do governo e as obras em execução. “Fizemos aqui também a prestação de contas com a comunidade e para a sociedade. Ações, obras e planos que o governo pretende desenvolver na região, cabe a nós explicar e divulgar. Igual a este núcleo existem mais 15 espalhados pelo Paraná, desta forma, o governo consegue atender e agilizar os serviços prestados aos 399 municípios do estado”.

Quando foi criado o Núcleo, houve uma confusão com a população em relação à COMEL (Coordenadoria da Região Metropolitana de Londrina). “A COMEL não foi extinta, o órgão existe até hoje, mas no momento está sem um titular. A Comel trata apenas das questões de territórios, transporte coletivos da região metropolitana, nós aqui temos outros assuntos para tratar”, explica Marco.

Pr 445

"Está praticamente em fase final. Quando assumi o cargo em fevereiro, a prioridade que o governador Beto Richa me colocou era que a PR 445 fosse entregue em condições de ser utilizada pelas pessoas que precisam desse serviço. Os próximos passos serão o recapeamento das vias marginais e as sinalização vertical e horizontal. Outra preocupação, cujo edital está em andamento, são as passarelas que devem ser construídas na PR 445, serão 3: uma próximo ao semáforo do acesso ao terminal Acapulco, outra próxima ao IAPAR e a última no Jardim Silvino em Cambé (próximo ao mercado Tonhão). Esses locais foram estudados e foi visto a necessidade da construção dessas passarelas, já que são lugares perigosos para os pedestres, que após a liberação da pista, arriscam a própria vida para atravessar".

IML 

"Uma construção moderna, feita nos moldes dos principais IML´s do mundo. Teremos um atendimento diferenciado para viaturas policiais, carro fúnebre, atendimento às vítimas, entre outros pontos importantes. O prédio será inaugurado provavelmente em novembro, posso dizer que 90% das obras estão prontas".

Escola do Vista Bela

"Outra grande obra do governo do estado, é a construção da escola no Vista Bela. Um prédio que vai atender cerca de 2000 alunos, com uma estrutura fantástica: quadra coberta, mas de 20 salas de aula, entre outros benefícios. Esta obra era de grande necessidade para os moradores da região, já que foi entregue recentemente o residencial no final da Avenida Saul Elkind, e a região não possui um colégio para atender os alunos. Hoje em dia, os alunos tem que utilizar o transporte público para ir até as escolas. A nova escola do Vista Bela estará em funcionamento em 2018 com todos os professores e funcionários contratados".

Hospital da Zona Norte

"Um grande hospital que vai trabalhar em conjunto com a PUC Londrina, com os alunos do curso de medicina fazendo suas residências no hospital, e será voltado para o atendimento ao público adulto e terceira idade. O prédio será construído com recursos próprios do governo do estado.
Qualquer obra para ser edificada pelo governo do estado, necessita que o terreno onde ela seja construída seja de propriedade ou do governo, ou da entidade fim, neste caso a PUC Londrina. Porém, o terreno pertencia a unidade da PUC Curitiba. Na administração municipal passada, aconteceram algumas divergências que impossibilitaram o andamento do processo, e até ser concretizado a troca de posse do terreno, o governo não pode fazer nada. Agora está tudo resolvido, e o terreno em nome da PUC Londrina. Estamos já agilizando os processos que faltam para dar início as obras no ano que vem".

Henrique Reis

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios