Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Coordenadores e chefes dos 12 escritórios regionais e da sede da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) protocolaram na Caixa Econômica Federal projetos para a construção de 11.034 novas moradias rurais em 327 municípios do Estado. A articulação foi feita após a liberação de uma nova cota de recursos do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR) pelo governo federal. 

Aumentar ainda mais a oferta de moradias para famílias paranaenses é uma prioridade do Governo Estadual. O governador Beto Richa tratado da questão junto ao Ministério da Cidade. No último dia 15 de março, ele levou o pleito de mais recursos para a habitação popular do Paraná diretamente ao ministro Bruno Araújo. 

Desde 2011, os projetos habitacionais ligados ao PNHR beneficiaram aproximadamente 13 mil famílias paranaenses. Além de agricultores familiares, as ações atendem a demanda de trabalhadores rurais, indígenas, quilombolas e pescadores artesanais. 

“Grande parte das riquezas produzidas no Paraná é fruto do árduo trabalho dos nossos agricultores. Por isso, os investimentos feitos pelo governo estadual na melhoria das condições de vida destes trabalhadores é também um estímulo ao desenvolvimento econômico do Estado", diz o presidente da Cohapar, Abelardo Lupion.

PROGRAMA – Publicada pelo Ministério das Cidades em 22 de março deste ano, a portaria 268 prevê a liberação de recursos para a construção de 35 mil imóveis rurais em todo o Brasil. Para terem acesso a uma parcela das unidades, os municípios deveriam apresentar, com o apoio do Governo Estadual, a documentação exigida dentro dos critérios estabelecidos pelo PNHR até 30 de abril.

SUBSÍDIOS - Pela regulamentação atualizada do programa, famílias com renda anual de até R$ 17 mil que possuam apenas uma propriedade rural receberão subsídios de R$ 34.200 para a construção de novas moradias. Cada família arca apenas com 4% do valor do imóvel, que deve ser quitado em quatro parcelas anuais de R$ 342. 

As unidades planejadas pela Cohapar podem variar de 43 a 47 metros quadrados, de acordo com os custos de obra em cada região do Estado. Cada casa possui dois quartos, sala, cozinha, banheiro, área de serviço e varanda, com projeto arquitetônico adaptado às condições do meio rural. 

ESTRATÉGIA - O presidente da Cohapar, Abelardo Lupion, explica que a estratégia adotada pela empresa envolve a apresentação de projetos excedentes para captação de recursos remanescentes destinados a outros estados que não consigam se adequar ao programa.

“Estamos dando total suporte aos municípios para que o maior volume possível de moradias seja destinado ao Paraná”, afirma Lupion. 

A coleta e organização da documentação necessária foram feitas com a participação das equipes regionais da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento e a Emater. Os órgãos são parceiros ativos do programa desde o início através do cadastramento, seleção e acompanhamento social das famílias beneficiadas pela iniciativa. 

RECONHECIMENTO – O modelo de gestão habitacional do Governo do Paraná tornou-se destaque em nível nacional com a obtenção do Selo de Mérito dado pela Associação Brasileira de Cohabs e Agentes Públicos de Habitação (ABC). Para Lupion, o reconhecimento resulta da prioridade com que o setor é tratado pela atual gestão estadual.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.