Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Geral 20/03/2017  09h40

Lideranças vão discutir Contorno Norte com governador

Grupo a ser definido a partir de audiência pública realizada nesta tarde na Câmara pretende agendar reunião com Beto Richa já nos próximos dias

Um encontro do governador Beto Richa (PSDB) com lideranças políticas, empresariais e do setor de transportes deverá ser agendado na próxima semana, com o objetivo de discutir o projeto do Contorno Norte e reafirmar sua importância para o desenvolvimento da região. Este foi o encaminhamento de audiência pública realizada na tarde desta sexta-feira (17) na Câmara de Vereadores, que reuniu lideranças políticas, empresariais, do setor de transportes e da comunidade, além de representantes do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR), do Ministério Público e da concessionária Triunfo Econorte.

Coordenado pela Comissão de Política Urbana e Meio Ambiente do Legislativo, o debate foi presidido pelo vereador Professor Rony (PTB), que propôs a definição de um grupo para participar da audiência com o governador. A comissão deverá contar com parte das lideranças empresariais e políticas que participaram do debate na Câmara, representando os municípios de Londrina, Ibiporã, Jataizinho, Cambé e Rolândia. Posteriormente, pretende-se formar outro grupo para acompanhamento do cronograma da obra.

As cinco propostas apresentadas durante o encontro também deverão ser levadas ao governador, anexadas à cópia da ata da audiência e de documento aprovado ao final do debate. O texto reitera a importância da obra para a melhoria da estrutura viária e para o desenvolvimento econômico da Região Metropolitana de Londrina. Destaca, ainda, que trata-se de uma obra planejada há mais de 20 anos como alternativa de tráfego e de integração entre diversos municípios, facilitando o acesso de uma região a outra do Estado, além de desafogar o fluxo de veículos pesados no trecho urbano da BR 369 (avenida Brasília).

De acordo com o projeto original, desenvolvido em 1997 como contrapartida para a exploração das praças de pedágio na região pela Econorte, o anel rodoviário partiria de Ibiporã, passando por Londrina e Cambé, e terminaria em Rolândia, com extensão de 29 quilômetros.

Novo traçado – Durante a audiência o diretor de operações do DER-PR, Paulo Montes Luz, defendeu uma readequação do projeto, com traçado mais ao norte. De acordo com o engenheiro, o traçado original atingiria parte de loteamentos (que não existiam à época em que foi projetado), exigindo investimento em desapropriações, além de já estar muito próximo do núcleo urbano, o que poderia gerar, em poucos anos, situação semelhante à vivida hoje na avenida Brasília.

Alguns dos presentes, porém, demonstraram receio em iniciar um novo projeto. “Não podemos correr o risco de voltar à estaca zero e perder tudo. Não é possível que um contrato, que pagamos com nossos impostos, não seja cumprido”, afirmou a presidente da Associação das Empresas do Parque Industrial de Cambé (Aepic), Rosinda Stremlow.

Para o promotor de Defesa da Saúde Pública de Londrina, Paulo César Tavares, a necessidade de construção de uma nova via para o tráfego de veículos pesados é urgente para reduzir o alto índice de acidentes no trecho urbano da BR 369, a mais violenta de Londrina, segundo estatísticas do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate). Segundo dados apresentados pelo promotor, em 2016 foram registrados nove óbitos naquela via, dois deles por atropelamentos. “Portanto, trata-se também de uma questão de saúde pública”, ressaltou Tavares.

Presente à audiência, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati (PP), concordou que estes são números muito preocupantes, assim como os dados referentes ao desenvolvimento da cidade. “Precisamos deste ramal para o escoamento da produção e para o crescimento da cidade. Trata-se de uma obra de fundamental importância, que precisa sair do papel”, reforçou.

Momento decisivo - O deputado Tercílio Turini (PPS), que reivindicou a realização da audiência juntamente com a Aepic, alertou que este é um momento fundamental para a discussão da obra. “Chegamos a um ponto decisivo, em que precisamos definir como este projeto será realizado e quando.” De acordo com o parlamentar, o contrato assinado com a Econorte prevê que a obra seja finalizada até 2021.

Para o vereador Professor Rony, a audiência pública demonstrou que há interesse, não só da sociedade civil organizada, mas também do governo, em realizar a obra, reconhecendo-a como fundamental para o desenvolvimento de Londrina e de municípios da região. “Todos concordam que o contorno vai permitir o escoamento da produção industrial, agrícola e pecuária, além de criar uma rota alternativa para o transporte rodoviário e de veículos particulares que vêm de outros estados e outras regiões do Paraná.”

A Triunfo Econorte informou, por meio de nota, que cumpre rigorosamente o que está estabelecido em contrato. De acordo com o texto, a obra do Contorno Norte está prevista para ser realizada no ano de 2021 e neste momento aguarda definições do DER, inclusive em relação a possíveis alterações do traçado, para dar continuidade aos estudos e projetos.

ASCOM/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios