Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Para marcar o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, marcado para o dia 15 de junho, a Secretaria Municipal do Idoso realizará diversas ações em conjunto com a rede de serviços públicos municipais nesta terça-feira (13) e sábado (17).

Entre as atividades estão conversas com os alunos sobre os direitos dos idosos, as formas de violência que esse grupo pode vir a sofrer, entrega de panfletos para a comunidade, produção de cartazes educativos, peças teatrais e apresentações, além de campanha educativa no Calçadão da cidade.

Para a secretária municipal do Idoso e da Assistência Social, Nádia Oliveira de Moura, é necessário que o Município realize essas ações para que a violência contra o idoso seja conhecida, denunciada e combatida. “Nos preocupamos muito em trabalharmos em prol do fortalecimento das ações já existentes e em fomentarmos novas ferramentas que visem a conscientização e o combate à violência contra a pessoa idosa. Isso porque entendemos que quanto mais se fala sobre o assunto, mais pessoas conhecem os serviços que toda a rede municipal oferece e elas nos ajudam a combater esse mal”, destacou.   

Ações com as crianças - Amanhã (13), a partir das 13h30, os alunos dos quartos e quintos anos, da Escola Municipal Leônidas Sobrinho Porto vão expor os materiais produzidos durante este mês. As 120 crianças de 8 a 10 anos debateram a importância do respeito aos mais velhos, a valorização do conhecimento que os idosos têm para passar aos mais jovens e as formas de proteger esse público.

Para complementar o trabalho feito em sala de aula pelos professores, a assistente social da Secretaria Municipal do Idoso, Maria Angela Santini, e a presidente do Conselho Municipal da Pessoa Idosa (CMDI) e psicóloga da Secretaria do Idoso, Luciana Ferreira Alvarez vão ministrar uma palestra, às 13h30, na biblioteca da escola, que fica na Rua Jequitibá, 226, no Jardim Leonor.

Elas também distribuirão panfletos e informativos da rede de serviços para as crianças entregarem a seus pais. Nos folderes há informações sobre as atividades desenvolvidas nos Centros de Convivência do Idoso (CCI) da região leste e oeste, e os telefones e endereços para contato. O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS IV) também dará material explicativo para as crianças.

A diretora da unidade escolar, Rosana Sakaguti Ferreira, acredita que a troca de informações entre profissionais de outras áreas enriquece o conhecimento das crianças. “Essa será a primeira vez que as profissionais vem falar com as crianças sobre a violência contra idosos. Esse tema é trabalhado durante todo ano através da contação de histórias e outras atividades, onde repassamos os valores, os princípios e o respeito ao diferente. Acredito que essa experiência será muito enriquecedora”, ressaltou.

Teatro com idosos - Ainda na terça-feira (13), às 14 horas, as pessoas com mais de 60 anos que participam do grupo de “Qualidade de vida e cidadania”, do Centro de Convivência do Idoso da Região Leste (CCI Leste), farão uma apresentação teatral para as crianças da Escola Municipal Francisco Pereira Almeida Junior. A peça teatral será apresentada na sede da unidade escolar, situada na Rua Mário Sérgio Carmagnani, 145, no Conjunto Guilherme Braga Abreu Pires.

A assistente social da Secretaria do Idoso, Rosely Sonoda Gomes, está organizando a atividade, que fará alusão à violência com o objetivo de sensibilizar as crianças e mantê-las informadas sobre esse tema. Nesse dia, todos os estudantes receberão panfletos informativos sobre as atividades da Secretaria do Idoso e poderão entregar o material para suas famílias.

O gerente de Atenção à Pessoa Idosa da Secretaria Municipal do Idoso, Cleir Jorge Brandão, explicou que a intenção de unir as crianças em prol dos debates de ações preventivas à violência contra o idoso é uma forma de trabalhar a questão intergeracional e mudar a forma como a sociedade vê os mais velhos.

Brandão ressaltou que o trabalho intergeracional de prevenção, que a Secretaria Municipal do Idoso está fazendo com as escolas municipais, sinaliza uma ação que pretende desenvolver durante esta gestão. “Além de cumprirmos o Estatuto do Idoso, que prevê ações intergeracionais, trabalhamos a mudança na conscientização da população modificando o conceito e a ideia de ser velho, de como tratar os idosos, para que assim Londrina possa avançar no respeito à pessoa idosa e às políticas públicas para esse público específico”, destacou.

Mensalmente, a Secretaria Municipal do Idoso realiza cerca de 2 mil atendimentos de inclusão social e preventivos aos idosos da cidade. Somente nos Centros de Convivência do Idoso são cerca de 500 atendimentos todos os meses, entre oficinas, palestras, dança, música, exercícios físicos, e informações sobre os direitos dos idosos.

Palestra sobre autocuidado e defesa financeira – Também na terça-feira (13), a partir das 19 horas, os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) receberão o economista e conselheiro do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso (CMDI), Dácio Villar, para falar sobre Autocuidado e a Defesa Financeira.

Ele fará uma palestra na sede da Escola Municipal Zumbi dos Palmares (CAIC da zona sul), localizada na Rodovia João Alves da Rocha Loures, 3.655, no Parque Ouro Branco. A intenção é mostrar aos educandos como, muitas vezes, os idosos sofrem assédio de instituições financeiras para contratarem empréstimos, assim como os próprios familiares podem ser os geradores dessa exploração financeira.

Com isso, o economista pretende fazer com que os idosos reflitam sobre a origem de seus rendimentos, as formas como eles gastam os recursos e as despesas supérfluas. Além disso, a presidente do CMDI, Luciana Ferreira Alvarez, também conversará com os alunos da EJA, que receberão profissionais do CREAS IV na mesma noite. Todos participarão de dinâmicas de grupo que alertam para a violência financeira.

Calçadão de Londrina - No sábado (17), das 8h às 13h, os profissionais do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS IV) vão fazer uma mobilização de conscientização contra à violência à pessoa idosa no Calçadão da cidade (Avenida Paraná, em frente ao Banco do Brasil).

Eles vão conversar com os comerciantes, vendedores, consumidores e transeuntes sobre as diversas formas de violência que os idosos sofrem e as maneiras de denunciar os agressores. Para isso, no local, haverá uma barraca da Prefeitura, com sonorização e panfletagem.

A organização das ações em prol do Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa é uma parceria da Secretaria Municipal do Idoso, de Assistência Social, de Educação e do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso (CMDI).

Violência em números - Em Londrina, são cerca de 75 mil pessoas acima de 60 anos. Eles representam 11% da população. Segundo os dados de atendimento do CREAS IV, em maio deste ano, os nove profissionais da Prefeitura acompanharam 364 casos de violência contra idosos, sendo que 29 deles eram novos na rede. Entre os tipos de violência registrados estão casos de abandono, negligência (voluntária, involuntária e autonegligência), exploração financeira, violência física, psicológica, sexual, verbal, e exploração múltiplas (quando há mais de uma violência associada).

Em abril, foram 382 acompanhamentos, sendo 21 deles denúncias de novos casos. De janeiro a dezembro de 2016, os técnicos multidisciplinares atenderam 457 casos de vítimas de violência, sendo 401 deles novos na rede. Para a diretora de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa do CREAS IV, Genilda Pozzetti Stábile, os números demonstram um aumento nas denúncias de casos de violência.

“É um número muito alto de casos de violência. Muitos referem-se à exploração financeira, porque têm idosos que recebem benefícios e aposentadorias e os filhos, muitas vezes divorciados, voltam para as casas com os netos e exploram o aposentado. Além disso, há casos de usuários de substâncias químicas que costumam agredir psicológica e fisicamente os idosos. É um ciclo de violência que precisa ser denunciado para que eles recebam ajuda e consigam romper com essa realidade que gera tanto sofrimento”,  explicou Genilda.

A Cáritas Arquidiocesana de Londrina é conveniada da Prefeitura e executa o serviço de atendimento ao idoso que sofre algum tipo de violação dos direitos sociais e que depende de terceiros para realizar atividades cotidianas como cozinhar, tomar banho, se alimentar ou que estão acamados. Segundo a coordenadora do Serviço de Proteção Social Especial para Pessoas com Deficiência, Idosos e suas Famílias da Cáritas Londrina, Luana Garcia Campos, durante os dois anos de funcionamento do serviço foram atendidos 360 idosos. Dentre os tipos mais frequentes de violência estão a exploração financeira, seguida da física e da psicológica.

Após receberem as denúncias, uma equipe multidisciplinar faz uma visita de averiguação do local. Constatada a violência, os psicólogos e assistentes sociais da rede de serviços municipal fazem o acompanhamento da vítima e de seus familiares, o serviço de escuta, de visitas domiciliares constantes, realizam encaminhamentos a outros serviços à Unidades Básicas de Saúdes e aos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e quando a violência não cessa eles encaminham o caso à Promotoria Pública do Idoso, do Ministério Público do Paraná (MP-PR).

Telefones para denúncia - O cidadão, que souber de algum idoso que sofre violência, deve entrar em contato com o CREAS IV, pelo (43) 3378-0405, ou pelo Disque Idoso Paraná no 0800-41-0001 ou por meio do Disque Direitos Humanos – 100. É possível fazer a denúncia na Cáritas Londrina pelo 3354-2853 ou 3354-2881 ou pelo email notificacao@caritaslondrina.com.br. Aqueles que preferirem podem ir pessoalmente até os dois locais. O CREAS IV fica na Avenida Rio de Janeiro, 1560 (quase esquina com a Rua Paes Leme). A Cáritas está situada à Rua Umuarama, 46, no Jardim Santo Antônio.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios