Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Francisco enviou uma mensagem aos sacerdotes idosos participantes do Dia da Fraternidade com os bispos da Lombardia

A velhice não é uma doença, mas um privilégio. O Papa Francisco transforma toda a lógica humana que considera o idoso um sujeito, aliás, um objeto a ser descartado. Em uma carta aos sacerdotes idosos e doentes da Região da Lombardia afirma: “Vocês estão vivendo uma época, a velhice, que não é uma doença, mas um privilégio”, o privilégio de “assemelhar-se a Jesus que sofre”.

O grupo de sacerdotes estava reunido em Caravaggio, para o Dia da Fraternidade, junto com os bispos da região. A carta do Papa foi-lhes entregue pelo bispo emérito de Mântua, Dom Roberto Busti.

A doença também é um privilégio

Mesmo os que estão doentes, escreve o Papa à mão, “vivem um privilégio” que é o de ser semelhante a Jesus “que sofre e carrega a cruz exatamente como Ele”. Portanto, a comunidade que cuida dos doentes “está firmemente enraizada em Jesus”.

Nesta comunidade, os sacerdotes idosos não são apenas “objetos de assistência”, mas “protagonistas ativos”, assegura o Papa, pois são “portadores de sonhos cheios de memória e, portanto, muito importantes para as gerações mais jovens”.

“Rezem por mim, estou um pouco velho e um pouco doente”

“De vocês vem a linfa para florescer na vida cristã e no ministério”, diz o Papa nas últimas linhas de sua carta. Ele conclui com o habitual pedido de oração para si mesmo, acompanhado de uma ironia referente à sua saúde após a operação no cólon em julho passado. “Peço-lhe, por favor, que rezem por mim que sou um pouco velho e um pouco doente, mas não muito!”.

Oração pelos sacerdotes mortos de Covid

O Dia da Fraternidade, informa a Igreja de Milão, foi realizado por ocasião do habitual encontro da Conferência Episcopal Lombarda. O encontro foi iniciado com uma procissão dos sacerdotes presentes seguido por uma missa no Santuário de Santa Maria del Fonte, presidida pelo Arcebispo de Milão, Dom Mario Delpini, e outros bispos da Lombardia.

Sob indicação de Dom Delpini, foram feitas orações em memória dos sacerdotes da Lombardia vítimas da pandemia da covid-19. Dos quase 300 sacerdotes que morreram na Itália, 92 eram da Região da Lombardia.

Vatican News

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.