Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O governador Beto Richa e o cônsul-geral do Japão em Curitiba, Hajime Kimura, abriram oficialmente nesta segunda-feira (12), no Palácio Iguaçu, as comemorações pelos 110 anos da imigração japonesa no Paraná. Na mesma solenidade, foi lançado em parceria com os Correios um selo comemorativo à data. Também foi criada a comissão estadual dos 110 anos de Imigração que organizará as festividades no Estado.

Richa ressaltou que os eventos são uma forma de reconhecimento à contribuição da comunidade japonesa para a formação cultural e econômica do Paraná. “Nosso Estado deve muito à comunidade japonesa, que com seu trabalho e valores ajudam a construir o Paraná que hoje o Brasil admira”, afirmou. “São contribuições notáveis, como na agricultura que é a base da economia paranaense”, disse.

Os 110 anos da imigração japonesa estreitam ainda mais as relações do Paraná com o Japão. “O Paraná tem laços de irmandade com a província de Hyogo e quatro municípios paranaenses têm irmandade com cidades japonesas”, lembrou o governador. Curitiba é cidade-irmã de Himeji; Londrina de Nishinomiya; Maringá de Kakogawa; e Paranaguá de Awaji-shi. “Estreitamos as relações institucionais e intercâmbios com o Japão que é exemplo de cultura, tradição e disciplina”.

A vice-governadora Cida Borghetti que a comemoração vai fomentar ainda mais acordo bilaterais e reforçar os laços de amizade. “É um reconhecimento para a preservação dessa cultura milenar”, afirmou ela. Também participaram o presidente da Aliança Cultural Japão-Brasil Paraná, Hiroshi Kamiguchi; o superintendente estadual dos Correios no Paraná, Paulo Cezer Kremer dos Santos, o presidente da associação Nikkei de Curitiba, Rui Hara, e o diretor-presidente do Instituto Hyogo Nobuyuki Nagata.

MAIOR COMUNIDADE - De acordo com o cônsul-geral Hajime Kimura, o Brasil abriga a maior comunidade japonesa fora do país de origem, com 1,9 milhão de pessoas. O Paraná é o segundo estado da América Latina com o maior número de nikkeis. São com 150 mil descendentes em solo paranaense. “O número de japoneses cresce a cada ano, porque cada vez mais empresas japonesas mostram interesse em se firmar no Paraná, que é um estado acolhedor e com economia forte”, afirmou o cônsul.

180 EVENTOS - A comissão formada por representantes do Governo do Estado, consulado- geral e entidades nipônicas no Paraná será responsável por 180 eventos culturais, econômicos e tecnológicos para comemorar a chegada dos japoneses no Estado. A principal festividade será a Expo Imin 11, que acontece em Maringá entre os dias 19 e 22 de julho com a presença da princesa do Japão, Mako Deakishino, e do vice-primeiro ministro do Japão, Taro Aso. “O objetivo desta edição é repassar as tradições e culturas às próximas gerações”, explicou o presidente das comemorações, deputado federal Luiz Nishmouri.

A imigração japonesa começou 1908, quando o navio Kasato-Maru atracou no porto de Santos, no Litoral de São Paulo quando 165 famílias desembarcaram no país para trabalhar nas fazendas de café. Da chegada para cá, Brasil e Japão criaram laços culturais e econômicos fortes.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.