Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Estado do Paraná e a Hungria avançaram nas conversas para a ampliação das relações comerciais, culturais e educacionais e da cooperação para a revitalização da bacia do Rio Iguaçu. ontem (16), a vice-governadora Cida Borghetti recebeu no Palácio Iguaçu o embaixador da Hungria Norbert Konkoly.

“Esta é a segunda vez neste ano que temos oportunidade em receber representantes do governo húngaro para trocar experiências, discutir parcerias que estimulem o desenvolvimento das duas regiões”, afirmou a vice-governadora. Em março deste ano, o cônsul-geral da Hungria em São Paulo, Teleski Szilard, esteve no Paraná para dar início às tratativas.

RIO IGUAÇU - Técnicos do Governo do Paraná detalharam o projeto de revitalização da Bacia do Rio Iguaçu, que abrange 109 cidades que somam cerca de 4,4 milhões de habitantes. O Paraná busca o auxílio de tecnologias inovadoras para despoluição de rios.

Recentemente, o Estado firmou uma parceria com a Prefeitura de Curitiba para despoluir o Rio Belém. O rio totalmente urbano é um dos principais afluentes do Rio Iguaçu.

O sistema húngaro utiliza nas estações de tratamento de água e esgoto plantas aquáticas capazes de absorver e filtrar as impurezas, transformando o ambiente em jardins. A tecnologia está implantada em mais de 30 países, com tratamento da água em pequenas e grandes cidades.

“Estamos com missões específicas aqui no Paraná para buscar investimentos e parcerias em diversas áreas. Temos interesse em projetos concretos e de possível atuação conjunta”, destacou o embaixador.

UNIVERSIDADES - Além da prospecção de novos negócios e relações comerciais, a Hungria negocia com a secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior acordos de parceria com as Universidades do Estado e também propostas de cooperação artística e cultural com a Secretaria da Cultura.

Nesta semana, a capital paranaense receberá o pianista húngaro, György Oravecz, acompanhado pela Orquestra Filarmônica Ofilato. Os recitais fazem parte das comemorações da 1ª Semana Cultural Húngara no Paraná.

RELAÇÕES - O Brasil é o segundo parceiro comercial da Hungria na América Latina (depois do México). O Brasil foi o 35º maior mercado das exportações húngaras em 2015 e 38º país na lista das importações húngaras.

Os produtos exportados pela Hungria ao Brasil são de alto valor agregado, principalmente máquinas, veículos e produtos processados. A maior parte do comércio realiza-se através de empresas multinacionais.

Em 2011, o Governo húngaro lançou documento de planejamento estratégico que, pela primeira vez, inclui o Brasil entre suas prioridades de política externa.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.