Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Paraná gerou 47.235 empregos com carteira assinada de janeiro a agosto desse ano, em empresas com até quatro empregados, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados recentemente pelo Ministério do Trabalho. O resultado coloca o Estado em primeiro lugar do ranking da Região Sul e em terceiro lugar nacional, atrás apenas para São Paulo e Minas Gerais. No mesmo período de 2016, o Paraná havia ficado em quarto lugar no ranking nacional, com geração de 42.205 empregos com carteira assinada.

O setor que mais contribuiu foi o de serviços, com 41,7%, seguido pelo comércio, responsável por 25% dos postos de trabalho. O município com melhor resultado foi Curitiba, com 19,8% dos empregos. Em seguida, aparecem Londrina e Maringá, responsáveis por 6,3% cada.

EMPREENDEDORISMO - O diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), ligado à Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral, Julio Suzuki Júnior, disse que, apesar do momento econômico nacional, no Paraná a crise é menos intensa. “Isso deve-se ao crescimento econômico do Estado, que, por sua vez, reflete o empreendedorismo do empresariado paranaense e as políticas do governo estadual”, disse.

Segundo ele, o processo de recuperação do emprego no Paraná pode ser fortemente atribuído às microempresas do Estado. Suzuki Júnior comentou a importância da terceira colocação do Paraná no ranking nacional. “São Paulo e Minas Gerais, que ficaram à frente, são maiores em termos populacionais e têm mais empresas e microempresas que o Paraná”, disse. Ele ainda citou que Estados como Rio de Janeiro e Bahia, que também são maiores, ficaram atrás no ranking.

Somados todos os segmentos da economia, o saldo é de 25.270 empregos com carteira assinada no Paraná, de janeiro a agosto, segundo o Caged. “O dado comprova o excelente desempenho do setor de microempresas, bem acima da média dos outros segmentos”, diz Julio Suzuki. "Este é um segmento francamente positivo", afirma. O número é gerado a partir da diferença entre admissões e demissões.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.