Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A indústria do Paraná fechou os primeiros sete meses do ano com crescimento de 3,9% na produção na comparação com o mesmo período do ano passado. Foi o maior avanço do País, à frente de Santa Catarina (3,5%) e Espírito Santo (3,1%). Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal Produção Física - Regional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada na última quarta-feira (6).

O resultado do Paraná ficou bem acima do registrado pelo Brasil no período, com avanço bem mais tímido, de 0,8%. Em relação a julho do ano passado, a produção industrial paranaense cresceu 2,8% e na comparação com junho, com ajuste sazonal, o avanço foi de 2,3%.

O crescimento registrado nos últimos meses marca a retomada da indústria do Estado, depois de um ano com queda na produção por conta da crise econômica. Em 2016, a indústria estadual fechou com queda de 4,3% na produção.

MÁQUINAS E AUTOMÓVEIS - Em 2017, a indústria paranaense vem sendo impulsionada principalmente pela produção de máquinas e automóveis. No acumulado do ano, em relação ao mesmo período de 2016, a fabricação de máquinas e equipamentos registrou alta de 71,3% e de veículos automotores, reboques e carrocerias apurou crescimento de 12,9%. Outro destaque foi a fabricação de bebidas, com crescimento de 5,7%.

De acordo com Julio Suzuki Júnior, diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), a indústria automotiva vem aumentando a produção para o mercado interno, mas principalmente para as exportações, em especial para a Argentina.

No acumulado de janeiro a julho, as exportações de automóveis do Paraná para a Argentina somaram US$ 442,7 milhões, 70,6% mais do que no mesmo período do ano passado. “O setor de máquinas cresce, por sua vez, com a venda de bens de capital para o agronegócio, setor que é um ponto fora da curva e que cresceu mesmo durante a crise”, acrescenta. O setor de bebidas, de acordo com ele, ganhou impulso com os investimentos no setor cervejeiro no Estado.

Para Suzuki Júnior, a tendência é de continuidade do crescimento da indústria nos próximos meses e com reflexo na geração de empregos. “O setor já vem sendo um destaque na criação de vagas e deve manter essa trajetória”, afirma.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.