Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O pastor Antonio Junior, dono do maior canal de mensagens cristãs do Brasil, alerta para os excessos e atitudes nocivas que usam a fé como pretexto para o extremismo durante a pandemia da covid-19.

O mundo inteiro hoje se vê em um momento em que pouco se sabe sobre o futuro. A pandemia da covid-19 confinou milhões de pessoas em suas casas e tem desafiado não apenas governos, mas toda a sociedade a encontrar respostas para voltar à normalidade o quanto antes. Por isso, muitas pessoas têm buscado por respostas e refúgio na fé e na religião, à espera de uma cura milagrosa ou de saber pelo menos como agir.

Em países como os Estados Unidos, Coreia do Sul, Chile e no Brasil, pastores evangélicos e líderes religiosos ganharam as manchetes dos jornais por um motivo diferente de alcançar uma graça ou milagre no que tange à pandemia. Estes líderes, que pregaram com convicção aos seus fiéis e desafiaram as autoridades e subestimaram o covid-19, foram vítimas de suas próprias convicções e hoje engrossam as estatísticas dos mortos pela pandemia do novo coronavírus. Como explicar estes infelizes acontecimentos?

O pastor Antonio Junior, escritor de quatro livros e dono do maior canal evangélico do YouTube em português é um dos principais influenciadores digitais do segmento cristão, com mais de 7 milhões de seguidores. Ele acredita que há grande perigo em um discurso extremista em nome da fé: “Lamento que alguns supostamente em nome de Deus e da fé nEle se façam valer de irresponsabilidade e extremismo, colocando tantas vidas em risco. Obviamente, creio que Deus é maior do que qualquer doença e que tem todo o poder para fazer milagres e maravilhas. No entanto, encontramos na bíblia diversas indicações claras de que não somos super heróis somente porque temos uma fé. O próprio Senhor Jesus quando foi tentado no deserto por satanás nos ensinou que não devemos tentar a Deus. Ser cristão não te torna imune ao novo coronavírus ou a qualquer doença, mas te dá as ferramentas necessárias para vencer as dificuldades aqui na terra e conquistar a vida Eterna.”

Ter fé não faz ninguém estar acima das regras

Antonio Junior também ressalta que o cristão precisa ser exemplo na sociedade: “o que vemos na Bíblia é a Igreja Primitiva seguindo o que disse Jesus, que temos de dar ‘a César o que é de César’ e 'obedecer as autoridades terrenas’, e isto vai desde sermos verdadeiros na hora de pagarmos os nossos tributos até obedecer os decretos que proíbem cultos públicos e aglomerações por medidas de segurança. O cristão tem de ser exemplo, pois ele é chamado para ser luz e sal da terra e não para ser aquele que põe a vida dos outros em risco. Ainda que alguém se julgue ser forte e imune ao vírus, todos podem involuntariamente ser agentes de transmissão para pessoas mais fragilizadas como idosos e doentes. Logo, amar ao próximo como Jesus nos ensinou também é praticar neste momento o distanciamento social e seguir as medidas de segurança e higiene.”

Fé x Coronavírus

Para o pastor, ter fé é fundamental para atravessar este momento difícil que estamos enfrentando: “Jesus não prometeu que seríamos super heróis, mas garantiu que nEle venceríamos tudo. Ele disse ‘no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo porque eu venci o mundo’. Ou seja, a promessa não é que seríamos imbatíveis e isentos de passar por provas e momentos como estes, mas que através da fé poderíamos sim vencer não somente a doença mas toda e qualquer dificuldade, sem extremismos, sem tentar provar para os outros que temos poder, sem arrogância. Jesus era manso e humilde e assim nós também devemos ser, orando uns pelos outros, crendo na cura e pedindo a Deus uma resposta não apenas para nós, mas para todo o mundo neste momento difícil.”

Hebert Neri/MF Press Global

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios