Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O pastor Antonio Junior, dono do maior canal de mensagens cristãs do Brasil, alerta para os excessos e atitudes nocivas que usam a fé como pretexto para o extremismo durante a pandemia da covid-19.

O mundo inteiro hoje se vê em um momento em que pouco se sabe sobre o futuro. A pandemia da covid-19 confinou milhões de pessoas em suas casas e tem desafiado não apenas governos, mas toda a sociedade a encontrar respostas para voltar à normalidade o quanto antes. Por isso, muitas pessoas têm buscado por respostas e refúgio na fé e na religião, à espera de uma cura milagrosa ou de saber pelo menos como agir.

Em países como os Estados Unidos, Coreia do Sul, Chile e no Brasil, pastores evangélicos e líderes religiosos ganharam as manchetes dos jornais por um motivo diferente de alcançar uma graça ou milagre no que tange à pandemia. Estes líderes, que pregaram com convicção aos seus fiéis e desafiaram as autoridades e subestimaram o covid-19, foram vítimas de suas próprias convicções e hoje engrossam as estatísticas dos mortos pela pandemia do novo coronavírus. Como explicar estes infelizes acontecimentos?

O pastor Antonio Junior, escritor de quatro livros e dono do maior canal evangélico do YouTube em português é um dos principais influenciadores digitais do segmento cristão, com mais de 7 milhões de seguidores. Ele acredita que há grande perigo em um discurso extremista em nome da fé: “Lamento que alguns supostamente em nome de Deus e da fé nEle se façam valer de irresponsabilidade e extremismo, colocando tantas vidas em risco. Obviamente, creio que Deus é maior do que qualquer doença e que tem todo o poder para fazer milagres e maravilhas. No entanto, encontramos na bíblia diversas indicações claras de que não somos super heróis somente porque temos uma fé. O próprio Senhor Jesus quando foi tentado no deserto por satanás nos ensinou que não devemos tentar a Deus. Ser cristão não te torna imune ao novo coronavírus ou a qualquer doença, mas te dá as ferramentas necessárias para vencer as dificuldades aqui na terra e conquistar a vida Eterna.”

Ter fé não faz ninguém estar acima das regras

Antonio Junior também ressalta que o cristão precisa ser exemplo na sociedade: “o que vemos na Bíblia é a Igreja Primitiva seguindo o que disse Jesus, que temos de dar ‘a César o que é de César’ e 'obedecer as autoridades terrenas’, e isto vai desde sermos verdadeiros na hora de pagarmos os nossos tributos até obedecer os decretos que proíbem cultos públicos e aglomerações por medidas de segurança. O cristão tem de ser exemplo, pois ele é chamado para ser luz e sal da terra e não para ser aquele que põe a vida dos outros em risco. Ainda que alguém se julgue ser forte e imune ao vírus, todos podem involuntariamente ser agentes de transmissão para pessoas mais fragilizadas como idosos e doentes. Logo, amar ao próximo como Jesus nos ensinou também é praticar neste momento o distanciamento social e seguir as medidas de segurança e higiene.”

Fé x Coronavírus

Para o pastor, ter fé é fundamental para atravessar este momento difícil que estamos enfrentando: “Jesus não prometeu que seríamos super heróis, mas garantiu que nEle venceríamos tudo. Ele disse ‘no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo porque eu venci o mundo’. Ou seja, a promessa não é que seríamos imbatíveis e isentos de passar por provas e momentos como estes, mas que através da fé poderíamos sim vencer não somente a doença mas toda e qualquer dificuldade, sem extremismos, sem tentar provar para os outros que temos poder, sem arrogância. Jesus era manso e humilde e assim nós também devemos ser, orando uns pelos outros, crendo na cura e pedindo a Deus uma resposta não apenas para nós, mas para todo o mundo neste momento difícil.”

Hebert Neri/MF Press Global

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.