Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Dia 25 de dezembro é o chamado solstício de inverno na Europa. Por causa da inclinação natural da Terra, no hemisfério norte é o dia mais curto do ano e, consequentemente, a noite mais longa.

Os romanos pagãos pensavam que era uma ameaça dos deuses, e com medo destes, ofertavam-lhes sacrifícios; e com prolongados rituais, queriam agradar aos deuses, para assim evitar o desaparecimento da luz do sol.

Com a cristianização do Império, os romanos recém-convertidos tinham saudades das festas realizadas por ocasião do Natal do Sol Invicto. Por isso, a Santa Igreja encontrou um meio de direcionar para o bem essa tradição pagã: comemorar, neste dia, o nascimento de Jesus, o “Sol da Justiça que traz a salvação em seus raios” (Ml 3,20), apoiada em passagens da Sagrada Escritura, nas quais o Messias é apresentado como a “Luz para iluminar as nações” (Lc 2,32), “A verdadeira Luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem” ( Jo 1,9).

A declaração oficial da Santa Igreja foi proferida pelo Papa Júlio I (337-352).

Natal: celebração do nascimento de Jesus Cristo

A Igreja nos ensina que as festas do Ano Litúrgico nos fazem participar das mesmas graças dispensadas por Deus no próprio ato comemorado. O que o Papa liga na Terra, Jesus liga no Céu (cf. Mt 16,19), dando a nós as bênçãos copiosas para o dia 25 de dezembro, Natal do Senhor.

O Natal é o aniversário de Jesus?

Alguns pensam que celebrar o Natal é comemorar o aniversário de Jesus e chegam até a cantar “parabéns pra você”. Mas esse nunca foi o sentir da Igreja a respeito deste tempo litúrgico.

Dom Henrique Soares costumava explicar essa questão dizendo: “Quando a Igreja celebra as cinco festas do Natal, ela não quer celebrar o ‘aniversarinho’ do menininho Jesus; o que ela quer fazer e faz é tornar presente para nós, na força do Espírito Santo, a graça da vinda do Cristo! Celebrando a liturgia do Natal, o acontecimento do passado (a Manifestação do Filho de Deus) torna-se presente no hoje da nossa vida! Na liturgia do Natal, a Igreja não diz: “Há dois mil anos nasceu Jesus”! Nada disso! O que ela diz é: “Alegremo-nos todos no Senhor: hoje nasceu o Salvador do mundo, desceu do céu a verdadeira paz!” (Antífona de Entrada da Missa da Noite do Natal)”.

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br e Twitter: @pfelipeaquino

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.