Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Geral 21/11/2017  09h58

Prefeitura lança 1.272 novos imóveis para famílias de baixa renda de Londrina

Com investimento federal de R$ 125 milhões, a intenção é atender as famílias com renda mensal de até R$ 1.800,00 inscritas na fila do Cohab

Na manhã de ontem (20) o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, o presidente da Companhia de Habitação de Londrina (Cohab-Ld), Marcelo Cortez, e o superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Wlademir Roberto dos Santos, lançaram o primeiro projeto de habitações populares de Londrina estabelecido por meio de uma Parceria Público-Privado (PPP). A solenidade foi no gabinete do prefeito.

Com investimento federal de R$ 125 milhões, a intenção é atender as famílias com renda mensal de até R$ 1.800,00 inscritas na fila do Cohab. Elas poderão ser beneficiárias do programa Bolsa Família, cidadão desabrigado de áreas de risco e ter a mulher como chefe de família. De acordo com a legislação federal, dentre o montante de apartamentos, serão destinados especificamente para pessoas com deficiência 5% do total e 3% para idosos.

Londrina não tem lançamento de empreendimento de baixa renda desde 2012. “ O lançamento  é fruto de muito trabalho da Prefeitura, desde o início do ano, para que Londrina possa retomar a construção de moradias.Temos um problema muito sério em relação às invasões. Nos últimos cinco anos triplicou o número de áreas invadidas em Londrina. Isso é fruto do grave problema social, da crise econômica, mas também da falta de uma política pública habitacional. Estamos tomando como conduta, primeiro não permitir novas invasões, já frustramos oito tentativas desde o início do ano e também vamos fazer a nossa parte, vamos voltar a construir casas”, explicou o prefeito.

Ele também fez um agradecimento especial ao presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, e à sua equipe, pela forma como atenderam aos anseios do Município de Londrina por novas moradias. “Tenho que deixar aqui a minha gratidão ao Gilberto Occhi por ter nos atendido nestas novas casas para a população de baixa renda. Ele tem demonstrado uma atenção especial por Londrina, a exemplo do que ocorreu quando autorizou liberação de recursos, no início do ano de 2016, para a reconstrução das pontes destruídas pelas chuvas de janeiro”, enfatizou.

Parceria Público-Privado – Durante o encontro, as autoridades assinaram o Termo de Compromisso entre a Caixa Econômica Federal e a Prefeitura de Londrina, para viabilizar empreendimentos vinculados ao Programa Minha Casa, Minha Vida. A liberação valerá para a construção de 128 unidades habitacionais no Condomínio Residencial Village, localizado no bairro Residencial Cancun (região norte). Além de outros 208 apartamentos no Condomínio Residencial Park Lindoia, situado no bairro Vila Romana, na região leste da cidade, o que totalizará 336 novas habitações em prédios de, no máximo, quatro pavimentos.

O valor máximo de cada imóvel não pode ultrapassar R$ 100 mil. Isso porque, ele seguirá o padrão dos empreendimentos do programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida contendo 43 metros quadrados distribuídos em dois quartos, banheiro, sala e cozinha conjugada e direito a uma vaga de garagem.

“É o primeiro projeto estabelecido em parceria público-privada para a construção de unidades habitacionais às famílias de baixa renda inscritas no cadastro da Cohab. Pretendemos realizar outros empreendimentos, que agora estão em fase de análise, para tentarmos minimizar o déficit habitacional da cidade. Ao final de 2012, por exemplo, havia 912 ocupações irregulares. Já em dezembro 2016 subiu para 3.600”, explicou o presidente da Cohab-Ld, Marcelo Cortez.

Após a solenidade de parceria, cabe à Caixa Econômica Federal (CEF) assinar a ordem de serviço para início das construções, que devem ser finalizadas dentro de um ano e meio. Os recursos financeiros para a construção dos empreendimentos são provenientes do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) - Faixa 1,5. “Agora, estamos otimizando o contrato com as construtoras selecionadas e a partir daí elas podem iniciar porque têm um cronograma físico e financeiro das obras”, afirmou o superintendente Regional da Caixa Econômica Federal.

Os 336 imóveis anunciados fazem parte de um planejamento habitacional maior, que inclui a construção de 1.272 unidades habitacionais, em diversas regiões da cidade. A intenção é que as obras tenham início o mais breve possível.  

Futuros moradores - A seleção dos futuros moradores para ambos residenciais será feita quando a construção estiver em fase de finalização. A Cohab-Ld deve publicar em edital público o chamamento para os interessados em receber um dos apartamentos. Eles precisam preencher os requisitos mínimos estabelecidos pelo órgão de gerenciamento habitacional.

De acordo com o presidente da Cohab-Ld, as famílias beneficiadas terão até 30 anos para o pagamento das parcelas, sendo que dependendo da renda elas estão isentas do pagamento da entrada, além de receberem subsídios de até R$ 37 mil. O financiamento é estabelecido pela Caixa Econômica Federal com parcelas iniciais de cerca de R$ 400,00 e as últimas de R$ 182,00.

A solenidade contou com a presença dos vereadores Wilson Bittencourt, Pastor Gerson Araújo, Estevan da zona sul, Péricles Deliberador, Daniele Ziober e Felipe Prochet.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios