Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Geral 23/11/2017  09h12

Prefeitura pretende proibir consumo de bebida alcoólica em ruas e avenidas de Londrina

Projeto de Lei segue uma recomendação do Ministério Público do Paraná e será encaminhado à apreciação da Câmara de Vereadores

Na manhã de ontem (22), o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, concedeu uma coletiva de imprensa, em seu gabinete, para falar sobre o projeto de lei que será encaminhado à Câmara de Vereadores, com a intenção de proibir a comercialização e o consumo de bebidas alcoólicas em ruas e avenidas públicas do Município.

O projeto de lei segue a recomendação administrativa da Promotoria Pública do Meio Ambiente, do Ministério Público do Paraná. Ele é uma resposta às constantes reclamações da população sobre a perturbação do sossego, poluição sonora e danos ao meio ambiente nas proximidades de locais que vendem bebidas alcoólicas. De acordo com o prefeito, ele é fruto de um amplo debate que vem sendo construído por toda sociedade desde o início deste ano.

O prefeito contou que a Prefeitura recebe inúmeras queixas, principalmente em finais de semana, afirmando que nessas áreas onde existe o consumo de bebidas alcoólicas nas vias públicas, pessoas urinam na frente da casa dos outros e fazem coisas que acabam incomodando os cidadãos e os moradores daquelas localidades. “O objetivo do projeto é garantir a ordem, fazer com que haja respeito à lei, que as pessoas possam sim consumir bebidas alcoólicas, mas que façam isso em lugares onde existe regularização legal e não façam isso na rua atingindo o direito de outras pessoas. É injusto com quem mora nas imediações passar por todas as perturbações que têm passado ao longo dos anos e são pontos específicos e múltiplos na cidade. Queremos preservar o direito do comerciante em vender o produto, mas preservar também o direito do cidadão que mora no entorno desses estabelecimentos de ter seu sossego preservado”, ressaltou.

Se aprovada, a lei proibirá a comercialização e o consumo de bebidas alcoólicas em avenidas, rodovias, ruas, alamedas, calçadas, praças, caminhos e passagens, ciclovias, via férrea, pontes e viadutos, hall de entrada de edifícios e estabelecimentos comerciais que sejam conexos à via pública e que não sejam cercados, assim como em pátios e estacionamentos dos estabelecimentos, área externa dos campos de futebol, ginásios de esportes e praças esportivas de propriedade pública e em repartições públicas e seu entorno.

Aqueles que descumprirem a lei poderão ser multados em R$ 500,00 se estiverem consumindo bebida alcoólica, e em R$ 1.000,00 se estiverem vendendo. A multa será aplicada por pessoa, por exemplo, se um comerciante vender o produto em local proibido para 10 pessoas diferentes, ele arcará com o valor da multa multiplicado por 10.

Caso, sejam reincidentes, a multa será duplicada. Os infratores deverão parar imediatamente com a conduta infratora. Em situações que o cidadão desobedecer será lavrado o termo circunstanciado pelo crime de desobediência, de acordo com o artigo 330 do Código Penal. Os infratores receberão a multa em casa, assim como acontece com as multas de trânsito.

O presidente da Comissão de Desburocratização da Codel, Roberto Alves Lima Junior, explicou que a intenção é reforçar a fiscalização e, para isso, o poder público poderá firmar parcerias com o governo estadual e com a Secretaria Municipal de Defesa Social. “A ideia é intensificar a fiscalização com a Guarda Municipal e a Polícia Militar. Como eles funcionam em jornadas de 24 horas, esses agentes públicos poderão constatar a infração, recolher a documentação dos infratores, lavrarem um termo de constatação da infração e, posteriormente, encaminhar à Secretaria de Fazenda para a lavratura do auto de infração”, disse.  

Para tratar deste assunto, a Comissão de Desburocratização da Codel participou de uma reunião pública na Câmara de Vereadores com os representantes da Associação de Moradores do Jardim Higienópolis. Eles questionaram o poder público sobre atitudes a serem tomadas contra aqueles que vendem e consomem bebidas alcoólicas em vias públicas, principalmente no entorno dos postos de combustíveis, bares e lojas de conveniência localizados na Avenida Higienópolis.

A venda e o consumo de bebidas alcoólicas ficam autorizados em estabelecimentos apropriados para este fim e em eventos públicos ou particulares previamente autorizados pelo Poder Público. De acordo com o Código de Posturas do Município de Londrina, desde 2011, é proibida a venda e a comercialização de bebidas alcoólicas no perímetro dos postos de combustíveis.

Em outras cidades como Umuarama (PR); Prudentópolis (PR); Passo Fundo (RS); Chapecó (SC); Jaraguá do Sul (SC); São Miguel do Oeste (SC); Lages (SC); Campo Grande (MS); Recife (PE) e em todo o Estado do Acre é proibida a venda e o consumo de bebidas alcoólicas, não somente no entorno de postos, mas também nas ruas e avenidas públicas.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.