Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A indústria paranaense seguiu em ritmo de recuperação em maio, com um crescimento de produção de 7,6% na comparação com o mesmo período do ano passado. Foi o segundo maior avanço do País, atrás apenas de Santa Catarina (9,5%). Com isso, o resultado acumulado de janeiro a maio ficou positivo em 3,1%, o quarto maior do Brasil, atrás apenas de Rio de Janeiro (4,6%), Santa Catarina (4,3%), Espírito Santo (3,4%). 

Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal Produção Física - Regional divulgada essa semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O desempenho do Paraná ficou bem acima da média do Brasil, de crescimento de 0,5% nos primeiros cinco meses de 2017, e de 4% no mês. 

O resultado do Paraná foi puxado pelo setor de máquinas e equipamentos e automóveis. “O setor de máquinas, principalmente tratores e colheitadeiras, foi impulsionado pela boa safra de grãos. Já a produção de automóveis se beneficiou do aumento das exportações e da queda na taxa de juros no mercado interno, que tem impacto nas vendas”, diz Francisco José Gouveia de Castro, diretor de Estatística do Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social).

No mês, a produção de máquinas e equipamentos cresceu 54,1% em relação ao mesmo período do ano passado; veículos automotores, reboques e carrocerias tiveram avanço de 43,5%; e o setor de minerais não metálicos cresceu 30,6%. “Neste último caso houve influência no setor da construção, com a produção de tijolos e areia”, explica Castro. 

TENDÊNCIA - Para ele, a retomada da indústria já pode ser considerada uma tendência para o ano, depois da retração do setor sofrer com a crise econômica. “O que verificamos é uma melhora consistente da indústria nos últimos meses”, diz. 

A indústria já vem contribuindo, inclusive, para a retomada da economia do Estado. No primeiro trimestre, o PIB da indústria cresceu 3,1%, o que contribuiu para o crescimento de 2,5% da economia paranaense no período. Na mesma base de comparação, o PIB brasileiro registrou recuo de 0,4%.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.