Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Decisão do Codefat beneficia quase 2 milhões de trabalhadores

Os trabalhadores podem retirar o abono salarial ano-base 2016 até 30 de dezembro. O novo prazo começou a valer em 26 de julho, após prorrogação  autorizada pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat).

Tem direito ao abono salarial ano-base 2016 quem estava inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos; trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias em 2016 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos; e teve seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Ainda está disponível o valor de R$ 1,44 bilhão, já que cerca de 2 milhões de pessoas ainda não realizaram o saque. Este é o terceiro ano consecutivo em que ocorre prorrogação.

Procedimentos

A pasta explica que o valor que cada trabalhador poderá sacar depende de quanto tempo ele trabalhou formalmente em 2016. Aquele cidadão que esteve em serviço o ano todo recebe o valor cheio, que equivale a um salário mínimo (R$ 954). Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo, que é R$ 80.

Os trabalhadores da iniciativa privada devem procurar a Caixa. A consulta pode ser feita via internet, no telefone 0800-726 02 07 ou pessoalmente. Já para os servidores públicos, a referência é o Banco do Brasil, que também fornece informações pessoalmente, pela internet e pelo telefone 0800-729 00 01.

O Ministério do Trabalho destaca que o benefício referente ao ano-base 2017 também começou a ser pago no último dia 26.

Fonte: Ministério do Trabalho

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.