Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Após primeiro semestre com dificuldades, avicultura deve diversificar produtos e ampliar exportação com parceiros, segundo análise do roteiro de campo da Expedição Avicultura

Com uma produção diária de 16 milhões de frangos e 40 bilhões de ovos por ano, segundo dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), o Brasil precisa buscar novas oportunidades no mercado, diversificando os produtos exportados e ampliando sua participação de negociação com os parceiros comerciais, para conseguir manter o crescimento produtivo e de receita no setor. Esse é o diagnóstico da Expedição Avicultura 2018, levantamento técnico-jornalístico, que divulgou o balanço de seu roteiro de campo nesta quarta-feira (8), em evento na sede da Brado Logística, em Cambé (PR).

A equipe de jornalistas e técnicos percorreu 16 mil quilômetros em 42 cidades de sete estados referência na produção de aves do Brasil: Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Pernambuco, que representou a Região Nordeste pela primeira vez no roteiro da equipe. “Com o aumento do poder aquisitivo do brasileiro desde a última década, o consumo de carne aumentou, principalmente no Norte e Nordeste brasileiro. E por ter um valor menor no mercado, o frango consegue se inserir ainda mais na mesa dos brasileiros”, afirmou o gerente do Núcleo de Agronegócio da Gazeta do Povo e coordenador do projeto, Giovani Ferreira.


Durante três meses, foram visitados 150 empreendimentos entre granjas, agroindústrias, cooperativas, produtores e corredores de exportação. “A nossa expectativa é que o setor consiga se aproximar dos números de 2017 nesse segundo semestre, conseguindo em 2019 voltar a ter crescimento de produção e receitas”, explica Ferreira. Essa avaliação também é compartilhada pelo presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar), Domingos Martins, que ressaltou a importância da análise do mercado para a avicultura. “Estamos trabalhando com inteligência e organização, integrando toda a cadeia para alcançarmos juntos e de forma mais eficiente nessa recuperação”.

Novos destinos

Ao analisar novas oportunidades, o México se mostra um parceiro comercial para essa demanda, tendo uma economia emergente e com crescimento de 32% em suas exportações no primeiro semestre de 2018 (68, 8 mil toneladas), em comparação com o mesmo período do ano anterior (47 mil toneladas), segundo dados da  Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Atualmente o Estados Unidos é o principal exportador dessa proteína ao mercado mexicano, embarcando 637 mil toneladas ao país em 2017, segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Para o Gerente Regional de Avicultura da Boehringer Ingelhein, Emerson Godinho, também é preciso que a avicultura nacional busque mercados com baixos índices de consumo per capita da carne de frango. “Países com economias crescentes e com populações com bilhões de habitantes, como a China e a Índia, se aumentarem um ou dois quilogramas por pessoa, já impacta positivamente em nossa produção”.

Os mecanismos para conseguir atender a essas demandas de produção também são fundamentais para o setor. O gerente executivo de cargas reefer da Brado, Carlos Pelc, destacou a importância da logística para o desenvolvimento da avicultura paranaense. “A avicultura representa 75% das movimentações do Terminal Intermodal da Brado em Cambé. É uma atividade sustentável que gera empregos e impulsiona a economia da região”. Outra ferramenta citada no evento foi a aplicação de tecnologia, reforçada pelo presidente executivo da SPRO IT Solutions, Almir Meinerz. “A informação é o bem mais valioso dentro do agronegócio. Por isso é fundamental que o produtor esteja integrado com o que ocorre em sua propriedade, tendo dados em tempo real para suas tomadas de decisões”.

Participaram também do evento o Diretor-Presidente do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Florindo Dalberto, e o prefeito de Cambé, Zé do Carmo (PTB). Ambos destacaram a importância do produtor dentro da cadeia do agronegócio, base da economia do Paraná e do Brasil.

------------------------------------------------------

Sobre a Expedição Avicultura 2018

Em sua quinta edição, a Expedição Avicultura volta à estrada para construir um novo diagnóstico da cadeia produtiva de carne de frango e ovos no país. Além dos seis estados visitados na edição anterior – Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Goiás –, a equipe de técnicos e jornalistas desembarca em Pernambuco para acompanhar o desenvolvimento do setor na região Nordeste do Brasil. O projeto é uma iniciativa do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo e da Boehringer Ingelheim, com patrocínio da Brado Logística e apoio do Grupo Renault, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), C. Vale Cooperativa Agroindustrial, Integra Foods, Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar) e SPRO IT Solutions.

Saiba mais em:

www.expedicaoavicultura.com.br

Clique nas fotos para ampliar

Albari Rosa/Gazeta do Povo.
Albari Rosa/Gazeta do Povo.
Albari Rosa/Gazeta do Povo.
Albari Rosa/Gazeta do Povo.
Albari Rosa/Gazeta do Povo.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.