Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A cerimônia da 53ª edição dos Prêmios de Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) aconteceu nessa quarta-feira (20/10), às 21h, no Cine Teatro Afipe, em Goiás. Entre os agraciados está a TV Aparecida, que levou o prêmio Clara de Assis, na categoria "Documentário", com o programa Arquivo A - "Desafios da Igreja - Realidade Indígena". 

Concorreram nesta edição 2021 aos Prêmios de Comunicação da CNBB, os autores dos trabalhos de todas as categorias realizados entre 01 de janeiro de 2019 e 31 de dezembro de 2020. 

Com reportagem de Camila Morais, o programa Arquivo A - "Desafios da Igreja - Realidade Indígena" - que será reapresentado nesta quinta-feira (21/10), às 22h, na TV Aparecida - mostra a situação no Brasil com relação à demarcação de terras indígenas. Em 15 dias, a equipe de jornalismo da emissora visitou nove aldeias no Mato Grosso do Sul e em Rondônia.  

O documentário da TV Aparecida venceu duas produções concorrentes: “Os Missionários dos Pobres: Caminhada e despedida de Dom Pedro Casaldáliga”, da TV Claret, e “Nas Águas da Amazônia/Barco Hospital Papa Francisco”, da TV Evangelizar. 

Outros veículos da Rede Aparecida de Comunicação também tiveram suas produções entre os indicados ao prêmio, que teve a apresentação de José Eymard e Manuela Castro, abertura de Dom Walmor Oliveira de Castro, Arcebispo de Belo Horizonte e Presidente da CNBB. A Rádio Aparecida concorreu ao Microfone de Prata, na categoria "Religioso", com o programa "Construindo Gente, e o Portal A12 ao prêmio Dom Luciano, na categoria "Sites e Blogs, pela iniciativa do "Terço Virtual". 

A Premiação:

O objetivo do prêmio anual da CNBB é o reconhecimento público da Igreja Católica ao trabalho de profissionais da comunicação. Isso, nas diversas mídias, em obras que se destacam pelo serviço à dignidade humana e aos valores do Evangelho. O prêmio também tem por objetivo estimular, fomentar e reconhecer as boas iniciativas de trabalho jornalístico e cultural provenientes de todo o Brasil nas áreas do Cinema, Rádio, Televisão, Imprensa e Internet, bem como, do campo da pesquisa acadêmica em comunicação.    

Sobre o documentário da TV Aparecida: 

A emissora concorreu ao prêmio Clara de Assis na categoria "Documentário", com o programa Arquivo A - "Desafios da Igreja - Realidade Indígena".  

Com reportagem de Camila Morais, o Arquivo A - "Desafios da Igreja - Realidade Indígena" mostra a situação no Brasil com relação à demarcação de terras indígenas. Em 15 dias, a equipe de jornalismo da emissora visitou nove aldeias no Mato Grosso do Sul e em Rondônia.    

No Mato Grosso do Sul, os indígenas enfrentam, além da falta de demarcação dos seus territórios, ameaças, massacres e são vítimas de agrotóxicos de grandes fazendeiros que desejam expulsar as etnias presentes na região.   

Já em Rondônia, a produção mostra que, mesmo com o território demarcado e homologado, os indígenas enfrentam o problema da grilagem.  Grileiros e madeireiros invadiram parte da terra, que fica na região amazônica, exploram a madeira e vendem de forma ilegal os lotes de terra. Nesse programa destaca-se a atuação do Cimi (Conselho Indigenista Missionário) e como é importante a luta pela demarcação de terras indígenas. O documentário ainda aponta que a falta de terra provoca inúmeros problemas relacionados à cultura, saúde e existência indígena.   

O documentário mostra que diante da Constituição Federal, a terra é garantida para os indígenas, mas na prática essa realidade não funciona.   

Vera Jardim/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.