Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Foi lançada campanha com ações como seminários, webinários, oficinas, rodas de conversa, produção de material audiovisual e microvídeos. Iniciativa tem a parceria da Unesco e faz parte da 2ª Campanha de Erradicação do Racismo na Educação Superior na América Latina.

As universidades estaduais do Paraná reforçam nesta semana o posicionamento contra o racismo. Na quinta-feira (09), em evento online, a UEL (Londrina), UEM (Maringá), Uenp (Norte do Paraná), Unioeste (Oeste do Paraná), UEPG (Ponta Grossa), Unespar (Estadual do Paraná) e Unicentro (Centro-Oeste) lançaram a campanha “Universidades Estaduais do Paraná na luta contra o racismo”, em parceria da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

A iniciativa integra a 2ª Campanha de Erradicação do Racismo na Educação Superior na América Latina e segue com ações até o mês de novembro.

O projeto foi construído de forma coletiva pelas instituições estaduais. O grupo elencou atividades que serão realizadas, como seminários sobre ações afirmativas; webinários sobre história e resistência da população negra e indígena no Paraná; oficinas, rodas de conversa com professores, estudantes negros cotistas, quilombolas e indígenas; produção de material audiovisual e microvídeos. 

 “É papel fundamental das nossas instituições de ensino superior debater temas importantes para a sociedade”, disse a coordenadora de Ensino Superior da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Gisele Onuki. “Temos certeza que essa série de ações programadas para os próximos meses trará uma importante reflexão a respeito de políticas de ensino inclusivas, visando diminuir as desigualdades”.

Cada instituição produzirá dois vídeos sobre as ações que desenvolve, um sobre políticas de ação afirmativa e outro sobre as iniciativas de combate ao racismo. Com duração de até 3 minutos cada um, serão disponibilizados numa página das redes sociais, com os links das universidades participantes.

Na abertura do evento, o reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Miguel Sanches Neto, destacou a iniciativa conjunta. “Erradicar o racismo no ensino superior tem um simbolismo muito grande, pois estamos formando novas gerações com uma compreensão dessa diversidade. Precisamos manter nossas universidades inclusivas e mais plurais”, enfatizou.

 “As atividades têm o objetivo de promover reflexão em torno das situações de racismo e preconceito que são materializadas no contexto do ensino superior na América Latina. E também pensar em estratégias concretas para o enfrentamento dessas manifestações”, explicou a pró-reitora de Assuntos Estudantis da UEPG, Ione Jovino.

Para a diretora do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB) da Universidade Estadual de Londrina, Maria Nilza da Silva, serão desenvolvidas muitas ações, o que cria uma grande dinâmica interinstitucional. Além disso, no fim do ano, deve haver uma apresentação geral sobre os resultados alcançados." A participação ativa de estudantes de graduação e pós-graduação fortalece ainda mais as ações", destacou.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.