Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Cuidar da revisão veicular, planejar o itinerário e se lembrar de descansar são alguns dos conselhos de especialistas

No último mês do ano chegam as férias escolares e as festas de fim de ano, época aproveitada por muita gente para fazer uma viagem, mesmo que curta, e curtir um passeio em família.  Há, porém, alguns cuidados a serem levados em conta para que a família toda não seja pega de surpresa.

O primeiro item a ser levado em conta é o carro. Existem alguns itens que devem ser levado em conta antes de se pegar a estrada ― independente se será ou não uma viagem longa. “Pastilha, disco e óleo de freio, todo o sistema que o envolva. É sempre bom também dar uma olhada nas velas e nos cabos de vela, filtro de ar e filtro de combustível”, explica João Paulo de Araújo Moreira, mecânico há 13 anos. “Tudo isto influencia numa boa performance do motor e garante uma boa viagem”, acrescenta.

Os pneus também são pontos de atenção. Por conta do baixo valor dos pneus recauchutados (estes recebem uma única nova camada de borracha, fixada por meio de um processo de colagem), há motoristas que preferem essa opção quando é preciso substituir os pneus.  “Não aconselho usá-los”, afirma o mecânico. “Com esses pneus, já vi carros começarem a trepidar, o balanceamento do veículo não fica bom, só os use em casos de emergência”, aconselha o profissional.

Confira outras dicas de revisão veicular: https://www.youtube.com/watch?v=EmBaPNa-LT4&feature=emb_logo

Cuidados no trânsito

Nas viagens de férias, o zelo não deve ser apenas com o automóvel. Na hora de se conduzir a família, a Polícia Rodoviária Federal tem algumas recomendações. “Apesar de se estar de férias, as pessoas por vezes se esquecem que devem continuar cuidando da segurança”, lembra Marcílio Marinho Pereira, chefe da Delegacia de Polícia Rodoviária Federal, em Cachoeira Paulista (SP). “É importante manter a vida para se ter uma vida melhor”, acrescenta.

As viagens em horários alternativos, fora dos horários de pico, são mais tranquilas. A precaução, porém, é com o cansaço. “Se você vai viajar à noite, seu dia tem que ser de descanso para que se tenha condições de dirigir. Seguindo esta condição, estando com o veículo verificado, a viagem será mais confortável”, assegura o policial.

Documentação

Além disto, é importante que o motorista esteja com a documentação em dia, tanto a sua quanto a do veículo. Há casos em que a Polícia Rodoviária tem meios de fazer uma consulta eletrônica e averiguar a regularidade do veículo e do motorista que o conduz, mas em caso contrário, é preciso que o motorista tenha isso em mãos.

“Hoje em dia, a legislação prevê alternativas. Se o policial que abordar um determinado veículo tiver condições de consulta, não precisa exigir a presença física daquele documento”, assegura Marinho. “Contudo, frisamos que em alguns locais não há como se fazer esta pesquisa. Então, por segurança, é bom que se esteja com o documento do carro ou a CNH eletrônica”, detalha.

Se entre os passageiros houver menores de idade, é necessário que se tenha o documento deles. “Só com estes documentos é possível confirmar o vínculo parentesco ou autorização dos pais para que o menor esteja viajando na companhia daquele motorista”, alerta.

Planejamento

Segundo o policial rodoviário, é importante que se faça um planejamento da viagem. “Costumamos dizer que quando chega o feriado, a boa viagem já teve início pelo menos uma semana antes”, pondera Marinho.

Além da citada revisão veicular, é relevante que outros itens sejam levados em consideração previamente, como, por exemplo, o trajeto que será feito. “Verificar o itinerário, rotas que serão seguidas, pontos para se alimentar e descansar. Recomendamos ainda que o motorista não dirija por mais de quatro horas seguida. É bom que ele pare por pelo menos 30 minutos para fazer um momento de descanso”.

Não se esqueça da casa

Além de cuidar da revisão do carro, dos documentos e do itinerário a ser seguido nas férias, também é importante não se esquecer da casa, que ficará vários dias sem a presença da família por dias ou semanas.

“É bom deixar, por exemplo, um vizinho avisado sobre a viagem que possa te comunicar sobre quaisquer eventualidades que verifiquem na sua casa”, ensina Marinho. “Assim, você pode, ainda que à distância, acionar o policiamento responsável pela área para verificar qualquer tipo de ocorrência em sua casa”, finaliza.

Thiago Coutinho/Canção Nova

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios